Uma janela sobre o mundo bíblico

Usando o Google translate para traduzir a Bíblia



  • Pergunta de Lucas Martins, Betim
  • 383
  • 13/10/2017
Luiz da Rosa

Aqui segue a colocação completa do Lucas:

Bom dia, gostei muito do site, parabéns é muito legal quando estamos juntos tentando entender mais o propósito de Deus ou os mistérios, isso nos aproxima mais de Deus, além de estar interessado em sua história é uma forma de estar sempre ao teu lado, buscando é o adorando.
Gostaria de saber porque quando pego uma versão em grego/hebraico da Bíblia que está disponível na internet e coloco no Google tradutor a tradução as vezes não condiz com a nossa tradução português, não deveria ser igual? Não temos erro no Google tradutor porque é muito avançado correto?
Também gostaria de receber novidades e respostas do site.
Boas idéias: Tornar site mais interativo (pontuação) para perguntas e respostas com ranking assim motiva as pessoas a participarem ... (Talvez um app no Google play).

Muito obrigado pelas considerações. E a respeito das ideias apresentadas, agradecemos os conselhos. Vamos guardar no baú e, quando conseguirmos energias e tempo para nos dedicar a elas, as tiraremos dali. Junto com o Odalberto, dedicamos um pouco do nosso tempo pessoal a esse projeto, conciliando-o com a vida profissional, pessoal e a participação na Igreja; o pouco com Deus é muito!

 

Google Translate

Trabalhando em um ambiente internacional, tenho experiência no uso desse instrumento do Silicon Valley. Ajuda muito, em alguns casos e não é tão perfeito em outros. Quando você quer traduzir, por exemplo, um texto de uma língua latina para outra, o resultado é praticamente ótimo. Mas a mesma eficiência não acontece se você tenta traduzir uma língua com estruturas diversas da nossa, como por exemplo uma tradução do alemão para o português.

O grego e o hebraico são línguas muito diversas das nossas e o resultado do aplicativo do Google não é confiável. Além disso, é preciso notar que as línguas bíblicas não são iguais àquelas faladas na Grécia e Israel atualmente. É óbvio que o fundamento é o mesmo, mas os vocábulos são diferentes e também algumas regras. Se você pega os Lusíadas de Camões, obra fundamental da língua portuguesa, se depara com uma língua bastante diferente da nossa. Entre Camões e nós temos cerca de 500 anos, ao invés, a distância entre nós e os textos bíblicos é 4 vezes maior.

Instrumentos informáticos como esse do Google ‘aprendem’ com o tempo. Talvez se desenvolverá e poderá ser usado com eficácia no futuro.

 

Bíblia interlinear

Eu não uso Google para eventuais traduções da Bíblia. Obviamente a coisa melhor é ir direto aos textos originais apresentados pelas versões críticas. Mas isso não é acessível a todos. E não creio que todos precisam aprender grego e hebraico bíblicos. Há, em português, traduções muito boas. Procure principalmente traduções modernas, com notas e introduções, analisando a equipe que cuidou da versão. Se não encontra nada disso, é provável que a tradução não seja moderna e não tenha os princípios usados praticamente por toda equipe que atualmente se dispõe a entrar na empresa de traduzir o texto bíblico dos originais.

Se, ao invés, você insiste em seguir o original bíblico, uma sugestão é o uso da Bíblia Interlinear, que traz o texto original em uma linha e na outra a tradução literal, palavra por palavra. É verdade que um vocábulo pode ter mais de um significado, mas essas obras podem ser de ajuda. Se você entende inglês, na internet encontra à disposição alguns aplicativos, como o oferecido pelo BibleHub. Em português, sei da existência de uma obra da SBB, ao menos o NT, mas nunca a tive em mãos.

E não se esqueça que cada versão é, no fundo uma interpretação. Por isso não encontrará nunca duas traduções idênticas. Cada tradutor, na hora de verter um vocábulo, usa toda a sua cultura e background para a escolha da palavra a ser usada.

383 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook