Uma janela sobre o mundo bíblico

Deus pediu que se sacrificassem animais?



  • Pergunta de Francisca, Natal
  • 1463
  • 03/01/2018
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Sacrifício |


Aqui transcrevemos a pergunda completa da Francisca:

Preciso que digam que o Senhor Deus não requeriu animais para sacrifícios, holocausto... Mesmo que diga que os animais não ofereciam resistência, isso não tem cabimento para um Deus sábio, justo e amoroso. Se visualizarmos aquela situação, tem passagens com riqueza de detalhes, um verdadeiro esquartejamento, sangue aspergido, cenas bizarras...Meu Deus não  pode ter participação nisso. Este é meu apelo, será que tem alguém capaz de dar uma saída para esse absurdo? 

O tema do sacrifício cruento não é fácil de entender. Era uma prática comum também no tempo de Jesus. Ler essa expressão de fé com os olhos de hoje não é fácil e possivelmente incorremos em interpretações incorretas. Os cristãos não seguem mais essa prática, mas muitas outras religiões continuam com tais sacrifícios. Dentro do contexto do hinduísmo, milhares de animais são sacrificados no Nepal; os muçulmanos, em Meca, continuam sacrificando animais a Alá. E os exemplos poderiam continuar.

Há várias maneiras de abordar a questão. Uma delas, acredito não correta, é utilizar a frase de Voltaire:

“Aqueles que o podem fazer acreditar em absurdos, podem fazê-lo cometer atrocidades”.

Uma análise histórica mostra que o sacrifício foi sempre parte integrante das religiões: os sacrifícios contados no Antigo Testamento, os prováveis sacrifícios humanos dos fenícios e todos os tipos de sacrifícios das civilizações pré-colombiana.

 

Como entender os sacrifícios do Antigo Testamento

Primeiro de tudo, no processo de ‘julgar’ o sacrifício, é necessário deixar de lado o respeito aos animais, aspecto muito importante do desenvolvimento da humanidade, mas uma consciência presente apenas recentemente; uma leitura objetiva da história feitas com os olhos de hoje terá resultados questionáveis.

Do ponto de vista da fé, os sacrifícios cruentos representam uma etapa da revelação, que é plena em Cristo. Deus não precisa ser “cultuado”, pois é perfeito; o culto é uma necessidade nossa e ela se exprime de maneira diversa na história.

A partir de Cristo, que se oferece uma vez por todas como sacrifício (Hebreus 9,26), o sacrifício de animais não é necessário e se tornou caduco. Cristo, por meio do sacrifício da cruz, aboliu o pecado uma vez por todas.

O sacrifício no Antigo Testamento era oferecido para abolir o pecado, mas se manifestou incapaz de realizar tal tarefa:

Deus não quis sacrifícios e oferendas... Holocaustos e sacrifícios pelo pecado não foram do teu agrado (veja Salmo 40,7-9, citados em Hebreus 10,5-6 conforme a LXX).

Por isso, Jesus

ab-roga o primeiro regime para estabelecer o segundo. E graças a esta vontade é que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas” (Hebreus 10,9-10). 

1463 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook