Uma janela sobre o mundo bíblico

Em Josué 6,17, qual o significado de anátema?



  • Pergunta de Pedro David Rodrigues de Oliveira, Curitiba
  • 1935
  • 24/02/2018
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Anátema |


O anátema é a oferta feita a Deus de todo o despojo adquirido com a vitória sobre o inimigo, que era considerada obra divina. Em hebraico a palavra usada é HEREM e significa "destruíção total"

O capítulo 6 de Josué narra a conquista da primeira cidade na Terra Prometida. Depois de atravessar o Rio Jordão, que fica a poucos quilômetros da cidade, o povo a conquista. O preceito de Deus diz que tudo e todos devem ser exterminados, exceto a família da prostituta Raab, que ajudou o povo.

O preceito não é observado por alguns, como contará o capítulo seguinte do livro, e a cólera do Senhor cai sobre todo o povo, que perde a batalha diante de Hai.

 

O preceito não observado

Um exemplo clássico da desobediência desse preceito se encontra na história de Saul, o primeiro rei de Israel. 1Samuel 15 conta que tendo Saul derrotado os amalecitas, poupa o rei Agag "e tudo o que havia de melhor do gado miúdo e graúdo, os animais gordos e as ovelhas (...) não quis incluí-lo no anátema; mas tudo o que era vil e desprezível o votou ao anátema" (1Samuel 15,9).

A ação de Saul é condenada por Iahweh através de Samuel. Saul é rejeitado e no seu lugar é ungido Davi. O pecado de Saul, que para nós parece estranho, é não ter levado a sério a ordem divina. Para comprazer o povo, escolheu poupar o que havia de melhor dos despojos da guerra: entre Iahweh que o elegeu como rei e o povo que o aclamou, Saul procurou agradar o segundo e não se decidiu exclusivamente por Iahweh.

 

Como entender um preceito ligado a uma ação tão cruenta

Quando hoje lemos esses textos que contam as batalhas do povo hebreu para conquistar as cidades dos habitantes da Terra Prometida nos surpreende o fato que Deus tenha querido a eliminação completa da população, tenha determinado que as pessoas fossem mortas. A surpresa revela a necessidade de termos atenção diante desses textos e tentar filtrar qual a verdade que devemos acolher. É claro que Deus não quer que façamos batalhas e destruímos até mesmo com a morte nossos inimigos. Isso é evidente já através dos profetas e muito mais graças ao ensinamento de Cristo, que pediu que amássemos o inimigo.

O povo hebreu tem uma história, que é uma história natural, vivida em um certo tempo. Deus se revela a esse povo dentro dessa história; o povo não é tirado fora do seu contexto! Naquele período a guerra era uma ação quotidiana, normal. Deus usa esse elemento para se revelar. A revelação divina se dá aos poucos e quem precisa aprender é o povo. Primeiro de tudo os hebreus descobrem que Deus caminha com eles, é um tipo de general que os conduz no combate e é eficaz, levando-os a vencer. Para mostrar que é Deus que comanda, que a vitória vem dEle, o anátema é colocado como um sinal. Será só mais tarde que o povo entenderá que não é a morte que Deus quer, mas que tudo seja marcado pelo amor. Mas para isso precisa de tempo, o povo tem que fazer seu percurso histórico. Nós somos privilegiados porque temos Cristo e Ele nos ensinou tudo, embora nem sempre conseguimos entendê-lo.

1935 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook