Uma janela sobre o mundo bíblico

Gostaria de saber sobre as sinagogas



  • Pergunta de João Batista Pessoa de Melo , Recife - PE
  • 792
  • 04/08/2018
Odalberto Domingos Casonatto

Olá João Batista Pessoa de Melo do Recife !

Em poucas palavras podemos dizer que a Sinagoga é o lugar do culto judaico.

Respondo a pergunta pois o termo sinagoga aparece no Novo Testamento, adquirindo importância e significado.

Antes de qualquer explicação devemos entender o lugar e a função do Templo de Jerusalém no Judaísmo. O Templo é único sendo o lugar onde está a arca da aliança, a presença divina e onde o povo judaico se dirige pelo menos três vezes ao ano nas festas de preceito: Páscoa, Pentecostes e Tendas. O templo polariza toda a vida religiosa, política e econômica de Israel.

Como entender a Sinagoga?

Na vida diária das comunidades judaicas funciona uma outra instituição, a Sinagoga. Até a menor aldeia tem sua Sinagoga, na Palestina do tempo de Jesus, cito a sinagoga de Nazaré, a sinagoga de Cafarnaum etc. neste ambiente da Sinagoga que se forjam a mentalidade e a piedade do israelita. As crianças recebem na Sinagoga, o ensino do Hebraico, celebram a Bar Mitzvá na adolescência (em hebraico significa filho da lei ou filho do mandamento) e as instruções para seguimento do judaísmo com todas as prescrições e normas.

Nas Sinagogas nos sábados os judeus se reúnem para a oração.

Se entende o termo sinagoga em duas dimensões: o local que se realiza a reunião para a oração dos judeus no Sábado e se entende o edifício material onde se realiza estas celebrações.

Quando começou este tipo de reuniões?

Deve-se buscar sua origem no tempo do Exílio em Babilônia (587 a 538 a.C). O povo se encontrava desolado, numa terra estrangeira e com o Templo de Jerusalém destruído. Mas um grupo de Judeus preparados pela pregação de Jeremias e sobretudo pela de Ezequiel que vive com eles no exílio, encontram ainda um sentido para aquilo que estão vivendo. Apesar do Exílio, Deus não abandona seu povo, quer purificá-lo de suas faltas. Se o culto oficial em Jerusalém está suspenso, pois o templo está em escombros no momento presente a oração ainda é possível. Os grupos fiéis a Deus começa então a se reunir, para reavivar mutuamente sua fé e rezarem, se lamentando a Javé a perda da pátria e do templo, nascem assim as Sinagogas como lugar de reunião e oração. Deste modo o povo se reúne, perto da cidade onde está deportado, numa praia à beira do rio (SI 137,1).

Na volta do Exílio como sobreviveram as Sinagogas?

Retornando a Pátria a primeira preocupação foi reconstruir o Templo e restaurar o culto.

Mas, na própria Palestina, esse movimento sinagogal parece desenvolver-se sob o impulso de Esdras e Neemias. Em Ne 8 aparece um belo exemplo de reunião. Os judeus que permaneceram na Babilônia e os que se espalham através do mundo (Diáspora) sentem a necessidade de tais reuniões, indispensáveis para manter sua fé no Senhor e para afirmar sua consciência de pertencer ao povo eleito. O movimento se generaliza e, no séc. I da nossa era, cada comunidade judaica tem a sua; cidades como Jerusalém ou Antioquia possuem grande número (Alguns autores nomeiam 480 Sinagogas em Jerusalém, conforme a tradição rabínica).

O Culto nas Sinagogas.

O culto centraliza-se na oração e na meditação das Escrituras.

Tem início com o Shemá, o Credo do povo de Israel, composto de três passagens bíblicas: Dt 6,4-9; 11,13-21; Nm 15,37-41.

Seguem orações, feitas pelo responsável pelo ofício, e às quais se associa o grupo dos participantes por meio de "Améns".

Do Talmude vem a oração Shemoné Esré ou Dezoito bênçãos.

A seguir faz-se a leitura da palavra de Deus: deve-se lê-lo, no texto hebraico.

Todo varão judeu adulto, isto é, com mais de doze anos, pode ler a Torá. Sem dúvida, goza-se de certa liberdade na escolha da passagem a ser lida, embora ao aproximarem-se as festas, procurem-se textos que falem desta solenidade. Muitas vezes o texto profético é escolhido em função da leitura da Torá, mas a codificação será mais lenta ainda a se estabelecer.

Antes ou depois desta leitura intervém a pregação que todo judeu adulto pode fazer. Se não há sacerdote, o presidente da assembleia o substitui. Qualquer judeu pode ler e fazer o comentário mas nem todos o fazem!

Escribas e fariseus fazem comentários dos textos lidos. Adquirem autoridade por este motivo. Sem a Sinagoga, jamais teriam o papel e o prestígio de que desfrutam.

A edificação da Sinagoga.

A sinagoga é um edifício retangular orientado para o Templo. A mobília é muito simples Consta de: um armário onde se guarda os rolos da Torá e dos profetas.

Bancos de pedra ao longo das paredes caso da sinagoga de Cafarnaum. Em outras se sentavam no chão ou permaneciam em pé.

Lugar das mulheres.

As mulheres e as crianças ficam separadas dos homens por uma balaustrada de madeira. Outros serviços realizados na Sinagoga.

Em muitas aldeias passa ser o lugar de educação das crianças e dos jovens, é aí que funciona a escola e nos centros mais importantes, constroem-se salas de aula em torno da sala central. Em Jerusalém, as sinagogas serviam para acolher os peregrinos vindos a Jerusalém e incluía para tal finalidade uma hospedaria e uma instalação de banhos. Mas ela nunca deixou de ser "casa do ensino".

A quem pertence o edifício?

Pertencia à comunidade local participante na construção e da manutenção.

792 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook