A ascensão é a subida de Cristo aos céus. Como contam os evangelistas, esse evento aconteceu 40 dias depois da ressurreição, tendo os apóstolos como testemunhas. Os evangelhos contam o fato de forma suscinta. Marcos diz: O Senhor Jesus, depois de ter falado comeles, foi arrebatado ao céu e sentou-se à direita de Deus (16,19). Lucas 24,50-53 conta: Depois, levou-os até Betânia e, erguendo as mãos, abençoou-os. E enquanto os abençoava, distanciou-se deles e erar elevado ao céu. Eles ficaram prostrados diante dele, e depois voltaram a Jerusalem com grande alegria. João fala apenas inderatamente do acontecimento, narrando uma testemunhança de Maria Madalena: Jesus lhe diz: “Não me retenhas, pois ainda não subi ao Pai. Vai, porém, a meus irmãos e dize-lhes: Subo a meu Pai e vosso Pai; a meu Deus e vosso Deus”. Lucas nos Atos dos Apóstolos narra de forma mais detalhada o acontecimento: Dito isto, foi elevado à vista deles, e uma nuvem o ocultou a seus olhos. Estando a olhar atentamente para o céu, enquanto ele se ia, dosi homens vestidos de branco encontraram-se junto deles e lhes disseram: “Homens da Galiléia, por que estais aí a olhar para o céu? Este jesus que foi arrebatado dentre vós para o céu, assim virá, do mesmo modo como o vistes partir para o céu” (Atos 1,9-11). No Monte das Oliveiras, em Jerusalém, restos de um santuário bizantino, hoje transformado em mesquita, lembram o acontecimento.