Uma janela sobre o mundo bíblico

Exposição de arqueologia Bíblica em Kibbutz de Israel



Leia mais sobre Arqueologia |


Exposição de arqueologia Bíblica em Kibbutz de Israel

Mais uma exposição arqueológica esta aberta ao público. Desta vez é no Kibbutz Mishmar Haemek, no Vale de Jezrael, Galiléia, ao norte de Israel, aos pés do monte Tabor. Este Kibbutz é formado por uma grande quantidade de membros vindos da América Latina, em especial Argentina e Brasil. O fato novo é que a exposição está à disposição do conhecimento de todos aqueles que se interessam pela arqueologia Bíblica de Israel. As peças arqueológicas foram encontradas por membros dos Kibbutzin da região restauradora e sistematizadas por Ruth Goshen. O educador Jacob (Polly) Padã Erev, um educador, morador do Kibbutz com a ajuda de crianças realizou escavações e coleta de parte do material. Foi Jacob, que teve a idéia de guardar estas peças para estudo e agora ela ganham um lugar descente e estão expostas para o conhecimento de todos

A coleção está formada por mais de 400 peças arqueológicas

Mais de 400 peças antigas estão sendo apresentadas perto do Kibbutz Mishmar Haemek no vale de Jezreel - desde a pré-história até a antiga cidade bíblica de Geva. Exposição permanente no kibutz, uma nova estrutura - onde das janelas se pode observar a antiga cidade de Tel Geva (Shusha Abu Tel).
A exposição no kibutz foi acompanhada pela assistência da restauradora Ruth Goshen e da Autoridade de Antiguidades, inclui itens coletados por membros do kibutz na área. A peça mais antiga em exibição é um sílex de 7500 anos.

Das Janelas da exposição se avista o Tel Geva

Geva que é vizinha no caminho do Mar, Estrada Velha, (Via - Maris) entre Megido e Acre. Na região estavam às fontes de água disponíveis, e os seus arredores foram cercados por solo fértil. A posição relativamente alta deu uma ampla visão do vale e as estradas eram bem controladas pelos que passam por ali. Todos estes juntos, constituíam uma condição fundamental para transformar a cidade.
Ela é identificado como o Geva bíblico-Shemen, ou "monte do óleo (azeite)", e "Harosete dos Gentios", onde Barak derrotou Sisra.
Juízes 4, 13: "E Sísera convocou todos os seus carros, novecentos carros de ferro, e todas as pessoas que estavam com ele, desde Harosete dos Gentios até o ribeiro de Quisom”.
Geva teve importância e status que se refletem na riqueza de moedas que foram descobertas em torno do vale Mishmar (Guarda): A moeda mais antiga de 36 AC, e depois que uma datada de 291DC (durante o reinado do Imperador Algblus).
Geva - como em toda a terra de Israel, sua principal economia era a indústria da agricultura, com foco na plantação de linho nacional, oliveiras e videiras. Estão expostos potes que foram utilizados para o azeite e (ou) vinho, um funil, e instalações da indústria de linho. Em Geva trabalhava-se com oficinas têxteis, agricultura e pelo menos uma produtora de vidro. Uma riqueza é um grupo de recipientes de vidro da exposição, bem como jóias de ouro e de bronze.
Geva teve um caráter autônomo. Costuma aparecer nas moedas, retrato da cidade de acordo com os imperadores que regem no período - algo interessante e incomum é que em anéis também se utilizava moedas na cidade de Geva, bem como o nome das mulheres dos imperadores.
Os túmulos dos residentes Geva foram achados em sepulturas datadas do final do I século AC - o tempo do Rei Herodes, achado que sugere que a tumba pertencia a uma família rica que vivia em Geva, e parece que a família era um dos veteranos que se assentou na cidade de Herodes. Herodes imitou o costume do mundo romano - dando parte das terras aos soldados que se aposentavam do exército.
A coleção foi iniciada por um membro do Kibbutz, Jacob (Polly) Padã Erev, um educador que teve a ajuda de crianças nas escavações e na coleta de itens.
Na primeira coleção foi apresentado um caixão de chumbo e a descoberta dos fundamentos da grande edifício (o primeiro) de uma instituição de ensino.
Depois de perambular de mais de 50 anos em várias partes do kibutz, agora exibe a última coleção em seu lugar adequado, a exposição é feita na casa de Milke. Lugar está aberto ao público e a entrada é gratuita.

2383 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook