O termo é de origem grega e vem do verbo euaggelizomai, eu evangelizo, isto é, levo a boa notícia, anuncio o Evangelho.

A palavra aparece somente 3 vezes na Bíblia: Atos 21,8; Efésios 4,11 (texto que você citou) e 1Timóteo 4,5. Cada uma das passagens indica uma pessoa com função dentro da comunidade, que tem a missão de proclamar a Boa Nova. Em Atos, Felipe é um evangelista; em Efésios é um ministério junto a outros, encarregado de anunciar e conduzir a comunidade.

Apesar do uso que o Novo Testamento faz, hoje o termo ‘evangelista’ se tornou sobretudo uma palavra técnica, com um uso específico: refere-se aos autores dos 4 evangelhos canônicos, ou seja, Mateus, Marcos, Lucas e João.

Quanto às mulheres, Maria Madalena é a primeira evangelizadora da comunidade cristã, pois ela antes de todo mundo anuncionou a boa nova da ressurreição do Senhor. Também Maria, a mãe de Jesus, em sentido amplo, merece o título de evangelizadora, pois ‘leva’ ao mundo a boa notícia que é o próprio Jesus.

Outra coisa é o termo ‘evangélico/a’, que pode ser um adjetivo que indica uma doutrina, um ensinamento que tem a sua origem e inspiração no Evangelho (por exemplo, os conselhos evangélicos, conduzir uma vida evangélica) ou um adjetivo que qualifica as pessoas que pertencem às diversas igrejas evangélicas de origem protestante.