Vitor, as ruínas da Basílica que você menciona se encontra na metade do caminho que vai da porta de Sião até a Porta que dá acesso ao Muro das Lamentações, na parte oriental do querteirão hebraico, ao lado do muro atual da cidade. A maior parte das ruínas descobertas está dentro dos muros, mas há também alguma coisa fora dos muros. A Basílica, conhecida com a palavra grega “nea” (nova) - Igreja Nova da Mãe de Deus, se encontrava no extremo daquele que era o Cardo Massimo, cujos restos podem ser admirados ainda hoje no quarteirão hebraico da cidade velha de Jerusalém. Normalmente é chamada de Igreja Nova da Mãe de Deus (Nea) e teria sido contruída por Justiniano, em 543. Na época era considerada a igreja mais rica de Jerusalém, com adornos muito especiais.

Embora fosse representada no mosaico de Madaba, ninguém sabia ao certo onde se encontrava tal igreja, até que o mistério foi decifrado por Nahaman Avigad, a quem foi autorizado escavar nos buracos causados pelas bombas lançadas durante a Guerra dos Seis Dias.