Uma janela sobre o mundo bíblico

Qual foi o homem que teve o pé imprensado num muro?



  • Pergunta de Sheila Evangelista, Salvador ?BA
  • 10701
  • 17/04/2012
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Balaão |


Olá Sheila Evangelista de Salvador / BA!

 

A pergunta que fazes nos coloca diante de curiosidades Bíblicas. Mas não devemos transformar o nosso estudo em simples curiosidade. Devemos passar para a leitura e compreensão dos textos que são curiosos, diante de tantas verdades que a Bíblia nos apresenta.

Uma resposta à pergunta seria:

Quem teve seu pé prensado contra o muro foi Balaão e este fato esta em Números 22,25:

25 Vendo, pois, a jumenta o anjo do Senhor, coseu-se com a sebe, e apertou contra a sebe o pé de Balaão; pelo que ele tornou a espancá-la.” (Num 22,25)

 

Nos livro dos Números o relato de um profeta rebelde, uma mula que fala e um rei furioso.

A mula que fala:

 

Em Números 22 - 24, temos uma das mais fantásticas histórias de toda a Bíblia. Trata-se de uma mula que fala um hebraico perfeito e que mostra ter mais percepção do que o próprio profeta. Um homem está no centro da narrativa, um misterioso personagem chamado Balaão. Balaão era um feiticeiro profissional de um clã nômade do deserto, como ocorre com os ciganos, vivem em tendas no deserto e em grupos. Sua reputação era muito grande: os reis vizinhos, alarmados com a presença dos israelitas, contrataram-no para que, utilizando-se de sua magia e feitiçaria, obtivesse o favor dos deuses para com eles.

 

Balaão é alugado para ser profeta

 

O livro dos Números narra com abundância de detalhes pintando um retrato colorido e dramático de Balaão. Mesmo assim, Balaão permanece uma figura misteriosa. O texto evidência que Deus decidiu falar ao povo por meio dele: As comunicações divinas entre Deus e Balaão foram sete vezes. Balaão não esquecendo o passado veio a ser um profeta obstinado, sujeito à ambição e ao suborno tentador. Por causa de suas contradições e inverdades até sua mula o repreendeu, no único relato bíblico em que aparece um animal falando. O anjo não poupou elogios, mas para a mula e não para o seu dono Balaão.

 

Balaão surge no cenário bíblico em solene ocasião orquestrada para amaldiçoar os israelitas, mas, ao invés de fazê-lo, Balaão pronuncia bênçãos sobre eles e amaldiçoa os inimigos deles. Ele proferiu quatro mensagens que causaram grande furor, mas completamente diferentes das que Balac queria ouvir.

Então disse Balac a Balaão: “Que me fizeste? Eu te chamei para amaldiçoar os meus inimigos, e tu pronuncias bênção sobre eles!” (Num 23,11)

"Como amaldiçoarei o que Deus não amaldiçoa?", perguntou Balaão (Números 23,8). Suas profecias são magníficas e brilham em meio a cenas de cômica ironia. Balaão se mostrou cada vez mais ousado, passando da condição de mero feiticeiro à de firme profeta.

 

Profeta ou traidor?

 

Nos capítulos 22-24 do livro dos Números aparece o profeta Balaão como um aparente “convertido”. Mas foi uma conversão temporária. O texto nos mostra que Balaão não podendo manipular o Deus dos israelitas, ele tentou manipular os israelitas. Para isto uso da estratégia de convencer outras nações a que os seduzissem com práticas sexuais e com a adoração a deuses falsos, abandonando a Javé. Sua atividade profética foi desastrosa causando a morte de 24 mil pessoas (Num 24,9). Passou Balaão a ser considerado o “Judas do Antigo Testamento”. Existem paralelos verdadeiros. Ambos chegaram perto da verdade, pareciam sinceros e fiéis. Ambos serviram ao Deus verdadeiro. Mas a ambição os levaram contra Deus renunciaram a Deus e voltaram-se contra ele, com resultados catastróficos.

 

Ainda podemos dizer do episódio de Balaão.

 

Na Bíblia encontramos em sete livros referências a Balaão. A importância deste episódio se da no fato importante da relação dos israelitas e as culturas pagãs. Os israelitas estavam a ponto de entrar numa terra em que a magia e a feitiçaria eram usadas como armas nacionais, Balaão era um representante importante da feitiçaria. Num lance cheio de perspicácia, Deus escolheu como porta-voz um feiticeiro pagão. Por meio dele, Deus repreendeu essas nações e os seus deuses.

10701 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook