Uma janela sobre o mundo bíblico

Quem colocou João na ilha de Patmos?



  • Pergunta de Diego Michael, Belford Roxo / RJ
  • 71847
  • 31/05/2012
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre João | Apocalipse


Olá Diego Michael de Belford Roxo!

Já sabemos que o reconhecimento do autor do evangelho de João, Apocalipse e cartas (Literatura Joanina), passaram por muitas controvérsias entre os autores. Muito foi escrito, debatido e estudos e teorias apresentadas. Mesmo caminho segue a resposta à pergunta: Quem colocou João em Patmos?

A primeira vista, a resposta se apresenta como sendo de fácil resposta e argumentação. Mas ela se movimenta em considerações das mais variadas. Apresentaremos a seguir três propostas dadas por estudiosos. Cabe a você analisar e de acordo com teus estudos ver qual delas melhor responderia a tuas dúvidas. Já foram feitas perguntas semelhantes no “site abilbia”, cito esta pois ajuda na resposta: Eu até hoje não entendi qual João escreveu o Apocalipse, se ele é o mesmo que foi colocado num tacho de óleo quente antes de ir para Patmos, o qual ficou com a Mãe Santíssima quando Jesus a entregou para que tomasse conta dela...”  feita por Marlene de Paiva em 30/04/2007 e respondida por Ombretta Pisano.

Destaco parte da resposta que aparece na descrição bibliográfica de João: “João apóstolo. Trata-se do filho de Zebedeu, que no IV Evangelho é chamado “o discípulo que Jesus amava” e que colocou a cabeça sobre o peito de Jesus na noite da última ceia. A tradição presente nos primeiros escritores cristãos (Clemente de Alexandria, Origens, Vitorino de Petau, Eusébio de Cesaréia) diz que João foi expulso e exilado em Patmos, mas não podemos excluir a possibilidade que tenha ido para lá espontaneamente. Contudo, antes da sua morte foi para Éfeso, onde, segundo Poicates de Éfeso, foi sepultado. De acordo com a testemunhança de Tertuliano, João sobreviveu a um atentado martírio (imersão em uma banheira de óleo fervente) por ordem do imperador Domiciano. O ancião apóstolo teria resistido tanto sem ser queimado que os carrascos, convencidos que fosse um mago poderoso, o liberaram e o enviaram em exílio a Patmos, onde teria escrito o Apocalipse de João. Porém parece evidente que esta história tenha uma índole lendária.” Portanto Ombretta na resposta apresenta duas possibilidades de resposta uma que João tenha ido por sua própria vontade a Patmos e a segunda de forma lendária que os carrascos de João o tenham enviado para Patmos.

Ian Boxall, professor e escritor de obras do apocalipse faz várias considerações sobre a estadia de João na Ilha de Patmos.

1 - João fugiu para ilha a fim de escapar da ira das autoridades que perseguiam a comunidade de Efeso e outras por ele atendidas. João com possibilidade de ser condenado à morte, tenha optado por um exílio voluntário.

2 - João foi exilado na ilha como consequência direta de seu trabalho de evangelização. Com status social privilegiado João ele teria sido preso temporariamente e enviado para Patmos, incluindo a perda da cidadania romana e outros direitos. Era época de perseguição decretada pelo Imperador Diocleciano, executada pelos mandatários em Efeso.

Não sabemos o real motivo da estadia de João naquele lugar. O inegável é que João era um profeta, semelhante a Daniel e Ezequiel que recebeu revelações sobre o principio e fim de todas as coisas. Alguns simbolismos do Apocalipse, continuam indecifráveis até mesmo para os escatologistas. Contudo, o teor do livro da revelação é bem claro: “Arrependei-vos para que sejas achado entre os salvos inscritos no livro da vida”. (Fonte: Ian Boxall)

Outro autor Estevão T. Bettencourt que nos deixou muitas respostas a dúvidas em sua Revista Pergunte e Responderemos e Cursos Bíblicos, falando do livro do apocalipse assim afirma: “O imperador Domiciano (81-96) moveu perseguição aos cristãos, deportando então João, bispo de Éfeso, para a ilha de Patmos (conf.1,9)” (Fonte: Curso Bíblico, pag. 89)

71847 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook