Uma janela sobre o mundo bíblico

Por que algumas pessoas não louvam alguns tipos de canto?
O que a Bíblia nos diz a respeito de diferentes estilos de músicas?



  • Pergunta de Evandro Bellotto, Laranjal Paulista
  • 1984
  • 25/01/2008
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Comportamento - regras e costumes |


Os dados da Bíblia sobre a música não são muitos, mas mesmo assim podemos constatar que ela era muito presente na vida do povo. As informações chegam sobretudo dos Livros das Crônicas. Em 1Crônicas 15,16-24 vemos que, no tempo de Davi, já existia a música ligada ao culto. De fato o texto diz: Davi ordenou aos chefes dos levitas que dispusessem seus irmãos, os cantores, com todos os instrumentos de acompanhamento, harpas, cítaras e címbalos, para que pudessem ser ouvidos tocando uma música que enchia de alegria.. Em 2Crônicas 30,21, notamos a presença do canto como forma de louvor a Deus. 2Samuel 6,14 fala, sempre em relação à Davi, da dança em volta da Arca da Aliança. Além disso, são famosos os cantos de Lamec (Gênesis 4,23-24), de Débora (Juízes 5), de Moisés (Deuteronômio 32,1-43) e o canto de lamentação de Davi (2Samuel 1,19-27).

Os cantores ocupavam um papel importante, em modo tal de nascer uma verdadeira categoria dentro do povo de Isarael. O cronista fala em 3 famílias de cantores (Asaf, Heman e Yedutun – 1Crônicas 16,37-41). 1Crônicas 23,5 diz que entre os 38 mil levitas, 4 mil “louvavam a YHWH com os intrumentos que Davi tinha feito”.

Na época do exílio em Babilônia, conhecemos a cérebre situação quando os israelitas penduraram suas arpas nos salgueiros, junto aos rios de Babilônia. Apesar disso, sabemos que, junto com Esdras, voltaram à Palestina 200 músicos (Esdras 2,65).

Conhecemos, através de Isaías 30,29, que durante as pelegrinações anuais a Jerusalém, os israelitas caminhavam acompanhados de música. Também Amós (5,23) fala dos cantos e sublinha o fato que a oração pública tem forma ritmada e cantada. Com o segundo templo, o “livro de canto” era o saltério. De fato, alguns salmos falam do tempo em que seriam cantados (Salmo 65,48; 118). Nesse período, quando foi instituído propriamente as práticas do judaísmo, as 3 horas de oração, de sacrifício no templo, tornaram-se uma oportunidade para, além da oração dos salmos, entoar cantos comunitários.

Do Novo Testamento citamos somente o texto de paulo aos Colossenses, quando ele diz: Com toda sabedoria ensinai e admoestai-vos uns aos outros e, em ação de graças a Deus, entoem vossos corações salmos, hinos e cânticos espirituais.

Portanto, Evandro, a Bíblia reconhece o papel importante que tem a música, como forma de louvar a Deus. Porém, lembremos que é um modo de louvor e com certeza não é o único. Por isso não creio que todos devem ter a mesma atitude diante de um canto. Além disso, há sem dúvidas canções religiosas que são mais tocantes, pois têm um texto mais expressivo e outras que pode não dizer nada a um fiel. Com certeza há pessoas que louvam a Deus cantando e há, também, outras que louvam sem cantar. É verdade, contudo, que o culto precisa ser organizado e quem participa da celebração pública deve acompanhar, em modo geral, a assembléia. Ao mesmo tempo, quem dirigi a celebração deve ter o cuidado de respeitar o modo de ser de cada um dos presentes.

1984 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook