2Pedro 2,5 diz que Noé foi salvo, na época do dilúvio, por que era anunciador da justiça. Nesse sentido poderíamos ler a história da vida de Noé como um anúncio do evangelho, da boa nova, do modo de vida segundo a vontade de Deus. De fato, Gênesis, que conta a história de Noé, diz que era um homem justo, íntegro entre seus contemporâneos, e andava com Deus (Gênesis 6,9). A respeito dos personagens que viveram antes de Cristo, aqueles do Antigo Testamento, normalmente não dizemos que "pregaram o Evangelho", se entendemos "Evangelho" como um termo para indicar a mensagem específica, materialmente falando, de Jesus. Contudo podemos falar de evangelho no Antigo Testamento se o entendemos com "vontade de Deus".

A Bíblia não fala em nenhuma passagem de um período limitado de 120 anos na vida de Noé. Depois de contar a história do dilúvio (Gênesis 6 – 9), a narração bíblica termina simplesmente dizendo que Noé, depois do dilúvio, viveu 350 anos, sendo que no total os anos da vida dele foram 950.