Uma janela sobre o mundo bíblico

Uma mulher que tem filhos de uma união estável pode se casar com uma outra pessoa?



  • Pergunta de Emilio Augusto , Sete Lagoas
  • 5603
  • 06/03/2013
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Casamento |


O texto bíblico fundamental para entendermos o pensamento de Cristo sobre o casamento é  Mateus 19,3-9:

Alguns fariseus se aproximaram dele, querendo pô-lo à prova. E perguntaram: “É lícito repudiar a prórpria mulher por qualquer motivo?” Ele respondeu: “não lestes que desde o princípio o Criador os fez homem e mulher? E que disse: Por isso o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher e os dois serão uma só carne? De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não deve separar” Eles, porém, objetaram: “Por que, então, ordenou Moisés que se desse carta de divórcio quando repudiase?” Dele disse: “Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres, mas no princípio não era assim. E eu vos digo que todo aquele que repudiar sua mulher – exceto por motivo de fornicação – e esposar outra, comete adultério.” 

É evidente que Cristo sublinhe o fato que a união entre homem e mulher é para toda a vida e que eventuais separações são consequências da "dureza dos corações" e não vontade de Deus.

No Antigo Testamento, como podemos ler em Deuteronômio 24, o divórcio era permitido, "por qualquer motivo". Jesus, invés, intervem sobre essa lei e diz, invés, que o casamento é indissolúvel.

Muitos, para justificar a possibilidade de divórcio, se apegam a Mateus 19,9, onde é dito que se pode repudiar a própria esposa/esposo em caso de "fornicação" (em grego "porneia"). Há muito debate sobre o que significa esse termo: alguns dizem que se trata de "prostituíção", "imoralidade", "traíção", "adultério", etc. A palavra grega "porneia" aparece outras vezes no Novo Testamento: Mateus 5,32; 15,19, Marcos 7,21; João 8,41; Atos 15,20.29; 21,25; 1Coríntios 5,1;  6,13.18; 7,2;  2 Colossenses 3,5; 1221; Gálatas 5,19; Efésios 5,3; 1Tiago 4,3; Apocalipse 9,21; 14,18; 17,2.4; 18,3; 19:2. Provavelmente a relação com os atos sexuais é subentendido no termo. Por isso poderia ser lido, dentro do casamento, como traição.

Não há nenhum problema em entender o texto, mas a dificuldade nasce a partir da exceção presente em Mateus e completamente ausente em outros passos bíblicos do Novo Testamento que falam do casamento e são paralelos a Mateus. Esses outros texto não dizem nada sobre uma exceção, não abrem espaço à indissolubilidade do matrimônio. Os texto paralelos dizem:

Marcos 10,11-12: Todo aquele que repudiar sua mulher e desposar outra, comete adultério contra a aprimeira; e se essa repudiar seu marido e desposar outro, comete adultério.

Lucas 16,18: Todo aquele que repudiar sua mulher e desposar outra comete adultério, e quem desposar uma repudiada por seu marido comete adultério.

1Coríntios 7,10: Quanto àqueles que estão casados, ordeno não eu, mas o Senhor: a mulher não se separe do marido - se, porém, se separar não se case de novo, ou reconcilie-se com o marido - e o marido não repudie sua esposa.

A exceção de Mateus ("em caso de porneia") dá margem a diferentes legislações no mundo cristão. Para os católicos, não é possível casar novamente, enquanto um dos dois está vivo; em outras igrejas isso é possível. Creio que Jesus quis ensinar que o casamento é para toda vida.

5603 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook