Uma janela sobre o mundo bíblico

Vi em um site que críticos consideram Testimonium Flavianum falso. Não concordo. Porém considerando o mesmo, gostaria de saber como ele é contestado por Orígenes, sendo que ele (Orígenes) afirma que Josefo "não considerava Jesus como sendo o Cristo". Como que Orígenes sabia desse detalhe se, como dizem os críticos, Josefo não mencionara Jesus em sua obra?



  • Pergunta de Renato, Fortaleza
  • 3201
  • 21/05/2009
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Flavio Josefo |


Flávio Josefo (em latim Flavius Iosephus e em hebreu Joseph ben Matthias). Foi um escritor e historiador romano, de origem judaica, que viveu no primeiro século da era cristã. Escreveu suas obras em grego. Foi educado dentro do judaísmo, porém sob a influencia da cultura latina e grega. No ano 64 foi até Roma, ficando impressionado pela potÇencia militar e pelo nível de vida dos romanos. Em seguida, por ocasião da guerra contra os romanos, iniciada em 66, foi governador militar na Galiléia, onde liderava as forças militares contra os romanos. Quando os seus súditos viram que seriam derrotados, decidiram suicidar-se, em massa. Josefo então lhes convenceu da imoralidade do suicidio e defendeu que os soldados fossem mortos pelos colegas, ficando ele por último. Enquanto os soldados morreram ele se entregou aos romanos. Encontrando o comandante militar Tito Flávio Vespasiano, anunciou que este se tornaria imperador e Vespasiano lhe preservou a vida. Ficou então ligado à familia de Vespasiano e mudou o seu nome em Flavio Josofo. Josefo, que morreu por volta do ano 100 depois de Cristo, passou o resto dos seus anos em Roma, onde escreveu obras historicas filo-romanas (Antiguidades Judaicas, Guerra Judaica, Contra Apione...), com as quais explicava aos leitores a história e a fé dos judeus.

Para alguns judeus ele é tido como um traidor, enquanto que outros pensam que, conscientemente, ele se comportou em modo tal que permitiu ao judaismo de não desaparecer completamente.

Em relaçao à historia, os seus escritos são de suma importância, pois são a principal fonte de informação extra-bíblica sobre a Judéia do I Século depois de Cristo, do periodo do início do cristianismo. É nesse contexto que aparece o famoso Testimonium flavianum. Trata-se de uma passagem, dentro da obra Antiguidades Judaicas (livro 18, capítulo 3, item 3), que menciona a pregaçao e a morte de Jesus, confirmando substancialmente a narraçao dos evangelhos. O texto diz:
"Havia neste tempo Jesus, um homem sábio, se é lícito chama-lo de homem, porque ele foi o autor de coisas admiráveis, um professor tal que fazia os homens receberem a verdade com prazer. Ele fez seguidores tanto entre os judeus como entre os gentios. Ele era o Cristo. E quando Pilatos, seguindo a sugestão dos principais entre nós, condenou-o à cruz, os que o amaram no princípio não o esqueceram; porque ele apareceu a eles vivo novamente no terceiro dia; como os divinos profetas tinham previsto estas e milhares de outras coisas maravilhosas a respeito dele. E a tribo dos cristãos, assim chamados por causa dele, não está extinta até hoje."

Orígenes, Padre da Igreja que viveu no segundo e terceiro séculos da era cristã (185 – 254), de Alexandria, é o primeiro autor que cita o texto de Josefo (mais tarde o mesmo farão Eusébio e Jerônimo). Origens cita Josefo sobretudo para confirmar a veracidade das figuras evangélicas, sobretudo João Batista e Jesus (Josefo cita também Tiago). Diz ele, na sua obra Contra Celsum, escrita aos helenistas:
Gostaria de dizer a Celsus (...) que alguém que viveu não muito depois de João e Jesus escreveu que João foi um batista, batizando para a remissão dos pecados. O mesmo autor, mesmo não acreditando em Jesus como Cristo, procurando as razões para a queda de Jerusalém e a destruição do templo disse que o plano contra Jesus foi a razão pela qual esses fatos aconteceram contra o povo.

Esssa discussão é muito complexa e prefiro não ousar dentro de um campo onde não tenho muita autoridade. Contudo, a partir do status questiones apresentado acima, podemos deduzir:
1. O texto de Josefo que temos hoje e que fala de Cristo menciona claramente a ressurreição e a messianidade de Jesus, mas esses fatos não são usados por Orígenes no seu debate Contra Celsum, embora lhe poderia ter servido.
2. Orígenes diz que Josefo não acreditava que Jesus fosse o Cristo, mas isso não é verdade se lemos o Testimonium flavianum, que diz: Ele era o Cristo.

Concluindo, se o Testimonium flavianum é original, parece que Origenes não conhecia esse texto, mas sim as menções a João Batista feitas por Josefo. Contudo quero sublinhar a superficialidade dessa análise. Faço apenas um apanhado geral e não quero ser dogmático.

3201 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook