Uma janela sobre o mundo bíblico

Cidades bíblicas: Séforis



  • Estudo
  • 2106
  • 17/07/2014
Moacir José Albuquerque

Leia mais sobre Geografia |


Trabalhos do Curso de Especialização Estudos Bíblicos da Faculdade Católica de Santa Catarina (FACASC), sob a orientação da Professora Silvia Togneri.


Séforis era a maior cidade da Galileia. Estava rodeada por aldeias de camponeses, numa delas nasceu e morou Jesus, juntamente com José e Maria. O local era rota de passagem tanto para Síria - Damasco, quanto para Jerusalém – Judá – Egito e África. Ali circulavam caravanas transportando mercadorias, pessoas, além do exército Romano e andarilhos.

Era um local de povo misturado, ou seja, quem vivia ali era considerado raça impura pelos judeus. Era uma região Helenizada, grega, um verdadeiro caldeirão de mistura cultural. É praticamente consenso pelos estudos da história atual1,da geografia e da arqueologia que Jesus nasceu e cresceu numa aldeia... desta região (Nazaré).

Ainda sobre a cidade de Séforis, é possível dizer que esse local de entroncamento localizava-se na baixa Galileia e a cidade estava construída sobre uma colina, por isso o nome de pássaro – Zippori.Ao norte ficava um vale de terras férteis, portanto, de fácil cultivo, com água abundante e ótimo lugar para a agricultura. Certamente os camponeses empobrecidos não tinham acesso a essa região2.

As evidências bíblicas sobre esse local são poucas, mas acreditava-se (os rabinos) que esta cidade foi fundada por Josué, o filho de Num. Alguns creem que é localidade de Cedron, que a bíblia faz menção3.

Mas na verdade, a importância de Séforis somente se deu depois do ano 55 a.C. com o domínio do Império Romano. Nessa época o pro cônsul da Síria, Aulus Gabinius, colocou um dos cinco conselhos que existia (Sinédrios), nesta cidade, o único da Galileia. Em torno do ano 39/38 a.C, Herodes o Grande, tomou a cidade e a manteve como quartel general4.

Com a morte de Herodes o Grande, 4 a.C., Judas, filho de Ezequias, comandou uma revolta dos habitantes pobres e oprimidos da Galileia (nesta ocasião, Jesus já havia nascido, pois quando Jesus nasceu, Herodes o Grande ainda estava vivo), foram derrotados pelo governador Verus, da Síria, que com muitos soldados dominou a rebelião, saqueou, queimou e destruiu a cidade e ainda vendeu toda a população como escravos.

Herodes Antipas, que havia herdado este território do pai, imediatamente reiniciou a reconstrução da cidade de Séforis, que foi sede do seu governo até a construção de outra cidade -  Tiberíades.

Dentro desta realidade a situação das aldeias de toda a Galileia ficou cada vez mais difícil, devido a alta taxa de tributos cobrados pelo Império Romano. Os impostos cobrados eram: taxa para sustentação do império, taxa para sustentação do templo e taxa para construção da cidade de Tiberíades, que passou a ser o centro administrativo de toda Galileia.

 

Curiosidade

Como no 1º Testamento, nem uma única vez é citado o nome da aldeia de Nazaré, no 2º ou Novo Testamento se omite por inteiro o nome da cidade de Séforis.

Talvez a explicação para isso seja que um profeta Samaritano provocou um levante contra o Império, e a cidade de Séforis foi completamente destruída. Por isso, dentro da história que seguiu ficou completamente esquecida.

Lembrando que os escritos do novo testamento só começaram a partir dos anos 50 d.C., portanto 20 anos já haviam se passado da destruição da cidade.

Além do que Paulo, nos seus escritos (cartas), não se preocupou com o Jesus histórico, mas sim com a paixão, morte e ressurreição de Jesus e sua mensagem.

Outro detalhe importante, é que o primeiro evangelho escrito foi pela comunidade de Marcos, no ano 68/70 d.C, ainda mais distante desse fato, pois já se passava quase 40 anos e a cidade mais importante dessa época, naquela região não era a cidade de Séforis e sim Tiberíades, construída por Herodes Antipas5.

Mas o que fica de mais importante é que Jesus é dessa região de empobrecidos e oprimidos por vários Impérios e por último pelo Império Romano.

 

Jesus e a Cidade de Séforis

Jesus fez parte dessa realidade, como camponês, sem-terra, sofrendo junto com seu povo toda opressão do Império Romano.Como cidadão, indignado com o sofrimento do seu povo, Jesus fez parte dos movimentos de resistência e luta que existia na sua época. Porexemplo, o movimento contestatório dos cínicos. Isso se compreende por algumas expressões que Jesus usava em seu vocabulário, em suas mensagens, “os últimos serão os primeiros”6. Ouainda, “quem tem ouvidos, ouça”8. Linguagem que era usada pelo movimento dos cínicos.

Também como camponês Jesus fez parte do movimento que lutava por terra, comida e liberdade. Além disso, como carpinteiro e artesão, teria participado junto com seu pai José da reconstrução da cidade de Séforis, na época chamada de Herodes Antipas9.

Lá pelos seus 25 anos, depois de ter participado do movimento de João Batista, Jesus organizou seu próprio movimento, a partir dessa região de Galileus empobrecidos.

A proposta do movimento de Jesus tinha como mensagem o anúncio da boa nova da construção do reino de Deus. Um reino de vida boa para todos , um reino de liberdade10, reino de uma sociedade igualitária11, e um projeto de poder participativo e de serviço12, organizando a sociedade na vivência radical do amor, amor que vai até as últimas consequências13. Tudo isso fora do eixo das instituições religiosas – templo, políticas – palácio, econômica - tributo.

O chão de atuação do movimento de Jesus foi a comunidade – casa e ao redor da mesa – partilha do pão e com dois eixos fundamentais: atender as necessidades dos empobrecidos e se colocar a serviço da vida14.

Para humanidade o importante é que Jesus, a partir dessa realidade de Galileus empobrecidos, desenvolve e assume sua missão, o seu messianismo como ser humano e como filho de Deus se compromete com a realização do projeto do pai:
Vida boa para todos
Libertação e construção da dignidade e cidadania do seu povo

Este era o sonho de Deus
Era o sonho de Jesus
É o nosso sonho

_________________________________

1: D. Ghrmair, Bart e Grossan, John Dominique. Historiadores -  O Jesus historico-John Dominique Grossan, Luago 1994.
2:Nadolny, Paul. Artigo Israel-Seforis. Projeto de Pesquisa Arqueologia do Antigo Oriente. Universidade Metodista de São Paulo. Página na internet: www.metodista.br/arqueologia/artigos/2012/israel-seforis-1
2:Jz 1,30. Js 19,35. Metodista, Página na internet: www.metodista.br/arqueologia/antiguidade 2012
4: Metodista, antiguidade 18.21 – 2.1811
5: Armstrong, Karen. Historiadora – Página da internet: Super.Abril.Com.br/religião/anosocultos-Jesus 
6: Mc 9,35
7: Mt 13,43;
8: Fredrikren, Paulo. Historiador – Página da Internet: http://super.abril.com.br/religiao/anos-ocultos-jesus
9: Jo 10,10
10: Lc 4, 16-21
11: Mc 6, 60-66
12: Jo 13, 4-11
13: Jo 11
14: At 2, 42-47

2106 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook