Obsolutamente nŃo. A nossa vida Ú delimitada, no sentido positivo, ao apelo a conformar-se ao modelo que Ú Cristo. O seu ensinamento deve orientar a nossa vida. Nesse sentido a Lei tem valor para nˇs ainda hoje. De fato, na concepšŃo hebraica a Lei, a Torah, nŃo significa somente proibiš§es, que Ós vezes julgamos como absurdas, mas Ú um verdadeiro caminho que nos conduz a Deus; sŃo como indicaš§es numa estrada, que Ú a vida, que mostram qual via tomar para identificar a nossa existŕncia com o modo de ser divino.

Recordemos a frase de Santo Agostino, que pode ser considerada um dos princÝpios da moral cristŃ. Ele diz: "ama e faz o que queres.ö Comentando JoŃo, a frase quer exortar Ó responsabilidade para o bem do prˇximo e nŃo Ú simplesmente uma exaltašŃo do sentimento ou do capricho individual. ╔ nesse sentido que, por exemplo, uma mesma ašŃo possa ser bem vista ou mal vista aos olhos de Deus. Depende se na sua base estß o amor. Afinal nŃo Ú verdade que se um pai Ĺbrigaĺ com um filho, movido pelo amor que impele Ó educašŃo, nŃo estß cometendo um erro? InvÚs a mesma Ĺbrigaĺ, sempre em relašŃo a uma crianša, provocada por outro f˙til motivo pode ser recriminada e nŃo Ú de acordo com a vontade de Deus.