Uma janela sobre o mundo bíblico

Qual é o gênero literário do Apocalipse? ...quais são as características deste gênero? Existe um gênero predominante que abrange todo o texto, existem outros gêneros secundários?...quais são?



  • Pergunta de César, Curitiba / PR
  • 8869
  • 20/11/2014
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Gêneros Literários |


Olá César de Curitiba / PR!

A pergunta se desdobra em outras, que merecem uma resposta ampla. O assunto é extenso, mas uma vez descobertos os mistérios e as formas, símbolos e visões do Apocalipse tudo se torna de fácil compreensão.

Este gênero literário do apocalipse é muito antigo, e encontramos no livro de Daniel os primeiros acenos desta literatura, passando pelo profeta Ezequiel, pela apocalítica judaica e no último livro da Bíblia o Apocalipse.

Boa parte dos escritos surgiu na época helenista. Essa época é marcada pelas conquistas de Alexandre, o Grande (336-323 a.C.), com sua política de dominação absoluta, continuada depois por seus sucessores. Seu propósito era a fusão de duas civilizações, a Oriental e a Ocidental, através da cultura grega, da qual foi ele um dos principais propagadores e do surgimento do helenismo. Esta foi uma época conturbada para o povo de Deus. Os livros da apocalíptica judaica desta época, usaram o gênero apocalíptico. O livro do Apocalipse de São João 300 anos depois utilizou também este gênero vindo da apocalíptica judaica.

O gênero literário Apocalíptico

Este gênero literário aparece no Antigo Testamento e encontramos no último livro da Bíblia o Apocalipse. No texto aparecem símbolos, imagens, visões e revelações. Este gênero apareceu nos momentos de grande perseguição contra os primeiros cristãos. Nos governos dos imperadores Romanos Nero e Domiciano. Eles ocultavam verdades para aqueles que não pertenciam às comunidades cristãs.

As características da literatura apocalíptica

Na apresentação das características do gênero literário do Apocalipse mostramos algumas mais significativas..

1. Primeira característica a significação histórica

O literatura apocalíptica nasce dentro de um processo histórico de perseguição, numa situação critica servindo para animar as comunidades perseguidas. A situação histórica vivida pela comunidade onde nasce essa literatura é representa pela abundância de imagens, visões, números etc...

Neste contexto é que aparece o escrito apocalíptico facilitando a interpretação do momento vivido. Por exemplo a compreensão do momento de perseguição dos Imperadores Romanos, Nero (54-68) ou Domiciano (81-96) a comunidade cristã,e a utilização do gênero apocalíptico do livro do Apocalipse, pelo autor, é de grande importância para a compreensão e interpretação.

2 - .Segunda característica os pseudônimos.

Na literatura apocalíptica é comum que seus autores usem pseudônimos. Os autores deste gênero no Antigo Testamento usam o nome de personagens do passado, como Enoque, Abraão ou Moisés, omitindo assim seu próprio nome.

Os autores dos apocalipses judaicos, desde 300 anos antes de Cristo, se escondiam atrás de pseudônimos, para influenciar os pertencentes ao Povo de Deus a resistirem a praticas que os afastavam de Deus, e permanecendo no anonimato pelo uso dos pseudônimos evitavam a condenação e a morte.

3.Terceira característica as visões:

O gênero apocalíptico apresenta a mensagem por meio de visões. Nos escritos apocalípticos, torna-se o principal método de expressar a verdade. São visões do céu e cenas na terra. Os anjos são inúmeros, e são os agentes de Deus em assegurar essas revelações ao vidente.

O Apocalipse do Novo Testamento nos mostra que as visões relatadas por João são objetivamente reais. Esta verdade vem dos símbolos e figuras no curso das visões, bem como das referências feitas por João (conforme Apocalipse 1,1. 12; 4,1; 5,1-2. 11; 22,8-9 etc...). A visão é a forma elaborada da literatura apocalíptica. Portanto este gênero apocalíptico mostra está revelação especial, com visões, êxtases para o mundo invisível. A visão é uma forma literária elaborada com pormenores, simbolismos e imagens. Foi esta forma de trazer à luz coisas ocultas que lhes deu o nome de gênero apocalíptico .

4 - Quarta característica a predição:

A quarta característica da literatura apocalíptica, a predição mostra a verdade de que no apocalíptico se trata de coisas futuras. Assim que o apocalíptico é palavra para o momento em que existe uma situação negra, de aflição.

Esse gênero pinta o presente como época de males, de perseguição, de insegurança, de revolução, mas prediz o futuro como um período vingança divina, de triunfo e de libertação de todos os males que aqui nos afligem.

5. Quinta característica os símbolos:

Uma das principais características do gênero apocalíptico é o uso de símbolos. É criado um elaborado sistema de símbolos escondidos e ocultos com figuras de linguagem própria para expressarem idéias espirituais. Os livros do gênero apocalíptico vêem com imagens, comparações e símbolos de difícil compreensão, para o leitor de nosso tempo.

Os escritores da literatura apocalíptica geralmente vivem num meio às vezes hostil, e hostil a eles e seus leitores, passando então a elaborar um sistema de símbolos, figuras e códigos, para que as mensagens circulem com relativa segurança. Estes símbolos usados como um meio de comunicar seus pensamentos são do conhecimento de seus leitores nas comunidades.

O simbolismo dos números é muito comum nesta espécie de literatura.

Os números também são símbolos:

Os número tem grande uso na Bíblia, em especial o evangelista João utiliza a questão dos números. A presença do número sete é uma constante: 7 Igrejas, 7 espíritos, 7 bem-aventuranças, 7 taças, 7 cabeças, 7 selos, 7 trombetas, 7 pragas, 7 visões, etc...

Números que aparecem no Apocalipse de João:

1 (um) Deus é Um (Zc 14,9).

2 (dois) É o dobro e pode significar de sobra, como em Ap 18,6.

3 (três) Número da unidade e da Trindade. É usado para reforçar ou dar ênfase a uma expressão. Assim, quando se quer dizer que Deus é Santo, repete-se três vezes: Deus é Santo, Santo, Santo (Ap 4,8). É o número da plenitude (Ap 21,13) e da santidade (Ap 4,8).

4 (quatro) Número da totalidade: os quatro cantos da terra; quatro evangelhos; quatro Seres vivos (Ap 4,6; 7,1; 20,8). Os quatro elementos do universo: terra, fogo, água e ar. Quadrangular (Ap 21,16). Representa sinal de plenitude.

5 (cinco) Cinco dedos da mão. O primeiro bloco da Bíblia (a Lei) têm 5 livros, o Pentateuco. No Apocalipse pode ser negativo.

6 (seis) Número imperfeito, não chegou à perfeição, que é o número 7. No Apocalipse (13,18) é repetido três vezes, por isso o número da besta é 666. Imperfeição total!

7 (sete) É a soma de 4 + 3. Por isso é o número perfeito, indica o máximo da perfeição, a totalidade (Ap 1,4); indica séries completas como no Apocalipse: 7 Cartas (Ap 2-3); 7 Selos (Ap 6,1-17); 7 cabeças (Ap 12,3). O Cordeiro imolado recebe 7 dons (Ap 5,12).

O sábado é o sétimo dia; Deus fez a Criação em 7 dias; a festa de Pentecostes acontece 7 vezes 7 dias depois da Páscoa.

É importante ver que no Apocalipse aparece a metade de 7, isto é 3,5 (Ap 11,9). Às vezes se diz: um tempo, dois tempos, meio tempo (Ap 12,14; Dn 7,25), isto é três anos e meio. Também pode ser 42 meses (Ap 11,2), é igual a 1.260 dias (Ap 12,6), isto é, sempre a metade de 7. É a duração limitada das perseguições. É o tempo controlado por Deus.8 (oito) É sete mais um, é como que o transbordamento. As bem-aventuranças em Mateus são sete mais uma.

10 (dez) Indica também listas completas. Pelos dez dedos das mãos é fácil lembrar a lista. Indica um tempo limitado; curta duração (Dn 1,12.14; Ap 2,10). Pode indicar também imperfeição: a besta só tem 10 chifres (Ap 12,3).

12 (doze) É o resultado de 4 vezes 3, isto é um número bem completo. É o número da escolha: 12 tribos no AT; 12 Apóstolos no NT; 12 legiões de anjos (Mt 26,53). Os anciãos são 24, isto é: 2 X 12 (Ap 4,4). Os que serão salvos (Ap 7,4) serão 144.000, isto é 12 X 12 X 1000! Número de totalidade (Ap 21,12-14).

40 (quarenta) Número que indica um tempo necessário de preparação para algo novo que vai chegar: 40 dias e quarenta noites do dilúvio (Gn 7,4.12); 40 dias e 40 noites Moisés passa no Monte (Ex 24,18; 34,26; Dt 9,9-11; 10,10); 40 anos foi o tempo da peregrinação pelo deserto (Nm 14,33; 32,13; Dt 8,2; 29,4, etc); Jesus jejuou 40 dias antes de começar seu ministério (Mt 4,2; Mc 1,12; Lc 4,2); a ascensão de Jesus acontece 40 dias depois da Ressurreição (At 1,3). Quando alguém errava era corrigido com 40 chicotadas (Dt 25,3) e Paulo também recebeu cinco vezes as 40 chicotadas menos uma (2Cor 11,24).

70 (setenta) Jogo de números 10 X 7. Moisés comunica o espírito profético aos 70 anciãos (Nm 11,16-17.24-25). O exílio na Babilônia é interpretado como a duração de 70 anos (Jr 25,11; 29,10; 27,7; 2 Cr 36,21; Dn 9). A tradução da Bíblia hebraica para o grego foi feita por 70 escribas e por isso recebeu o nome de LXX ou Septuaginta.

1000 (mil) Uma quantidade tão grande que não se pode contar. Prazo de tempo completo e comprido. Reino de mil anos (Ap 20,2). Ver as combinações: 7 X 1000 (Ap 11,13; 12 X 1000 (Ap 7,5-8); 144 X 1000 (Ap 7,4).

6 - Sexta característica a dramaticidade:

A preocupação dos escritores do gênero  apocalíptico era tornar bem viva e convincente  as verdades a serem mostradas.

Assim, o texto esta povoado de expressões dramáticas: um dragão tão enorme que com uma só rabanada põe abaixo um terço das estrelas; rios de sangue; pedras de granizo que pesam cem libras; a Morte cavalgando um cavalo esverdeado; uma mulher, vestida do sol e tendo a lua sob seus pés; animais com várias cabeças e chifres; um dragão que faz sair de sua boca um rio de águas para destruir uma mulher que voa pelo ar; um dragão, um animal e um falso profeta, cada um deles vomitando uma rã, que se agrega a um exército - tudo isto é simbólico; mas são mais do que meros símbolos. São símbolos exagerados, para efeito dramático, próprios do gênero apocalíptico.

Esta mensagem só se aclarará para nós quando interpretarmos devidamente os símbolos. Portanto, devemos buscar e encontrar o significado para os termos dramáticos que aparecem no texto, afim de que o apocalipse tornar-se útil aos nossos dias.

Existe um gênero predominante que abrange todo o texto, existem outros gêneros secundários?...quais são?

Correta a afirmação para o gênero apocalíptico. O gênero apocalíptico é abrangente, perpassa todo o escrito do livro. Mas por outro lado, ele na narrativa do texto incorpora outros gêneros literários. Citamos alguns: os hinos litúrgicos que estão incorporados no texto; cartas (sete cartas as Igrejas); testamentos, orações, sentenças bíblicas do Antigo testamento encaixadas, etc..

Por exemplo: o autor apresenta página após página do livro do apocalipse, como eram as celebrações litúrgicas, nisto aparecem às formas literárias e gêneros literários. Aparecem fórmulas litúrgicas, hinos, preces, orações etc...

Portanto uma estrutura geral que incorpora outros gêneros literários complementares.

Consulta:

VV.AA. Uma leitura do Apocalipse, cadernos Bíblicos 22, Edições Paulinas, São Paulo, 1983, pág. 8ss

Richard, Pablo, Apocalipse, reconstrução da Esperança, Vozes Petrópolis, 1996.

8869 visitas


A resposta dos autores do site se encontra aqui acima.
Eventuais comentérios postados abaixo, via FaceBook, não representam o nosso parecer,
mas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores.


Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook