Uma janela sobre o mundo bíblico

Sem pensar muito bem, fiz um voto a Deus, " Se o Senhor me der isso eu farei isso ..." Só que agora eu estou com medo de não cumprir. Então orei, pedi perdão a Deus, e falei que quando o que eu pedi chegasse eu farei aquilo que sei que tenho condições seja ou não um voto. Estou tão nervoso por isso, o que eu fiz é errado? Posso perder minha benção ou salvação?



  • Pergunta de José, Surubim
  • 14487
  • 22/07/2015
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Votos | Salvação | Promessa


Com certeza a sua salvação não depende do voto que você fez e ela vai chegar se você, com seu modo de agir, seguir os conselhos de Deus e a bênção divina estará sempre consigo, pois não nos abandona nunca. Mas também o seu voto denota certa debilidade na sua fé.

O voto é uma realidade presente também na Bíblia. Lucas em Atos 18,18 conta que Paulo raspou a cabeça por causa de uma promessa feita. Ele coloca a pessoa em íntimo contato com Deus. Todavia é importante distinguir entre voto público e voto privado. O voto público pode ser, por exemplo, a consagração dos religiosos, que se comprometem a vivem em castidade, professando os Conselhos Evangélicos. Esse voto é uma coisa que provoca víncolo, que obrigada a pessoa. O voto privato é uma simples resolução, um propósito, diferente do voto público. Creio que o seu caso trata-se de um voto privado, um propósito e por isso não é  inculante quanto um voto público.

 

Na Bíblia

Em geral, no Antigo Testamento o voto é visto como uma oferta condicional feita a Deus: coisas, animais ou até pessoas. Mas também um culto, uma abstinência e sacrifícios.

O Novo Testamento não apresenta uma recomendação explícita em fazer os votos, embora, como vimos no exemplo citado de Paulo, era uma realidade presente na comunidade nascente.

 

Teologia e limite do voto

Como já dito acima, a promessa se faz porque existe íntima comunhão; não prometo algo a quem não conheço! Se alguém faz uma promessa a Deus quer dizer que tem uma profunda fé, uma profunda relação com Deus.

Por outro lado, a promessa pode sublinhar a fé em uma aspectativa retribuitiva: faço isso na esperança que Deus me conceda aquilo. Essa atitude demonstra uma visão da relação com Deus como uma relação comercial. Se você é amigo, promete algo simplesmente pelo prazer da amizade, sem esperar que a outra pessoa lhe pague com a mesma moeda.

Em poucas palavras, está bem fazer promessas a Deus com o intuito de sublinhar a amizade, reforçá-la, mas está errado "negociar" com Ele, esperando o seu "presente", a sua recompensa.

14487 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook