Uma janela sobre o mundo bíblico

Qual Bíblia devemos ler, seguir e estudar? Eu leio a versão traduzida por João Ferreira de Almeida. Dizem ser mais correta.



  • Pergunta de Sérgio Luiz Cabrelon, Santo André
  • 1672
  • 09/09/2015
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Traduções da Bíblia |


Como você notou, existem muitas versões da Bíblia em Português. Elas são diferentes entre si, pois traduzidas por pessoas ou equipes diferentes. Cada tradução, sem dúvidas, tem influência do tradutor. Essa influência pode ser maior ou menor, dependendo da seriedade de quem fez o trabalho. É impossível pensar que o tradutor não coloque algo de próprio, que seja totalmente desligado dos seus conceitos, das suas crenças. Alguma coisa ele sempre passa para a sua tradução. O texto original é sempre o mesmo, mas o resultado do trabalho do tradutor é diferente. Há palavras, em grego e hebraico, que podem ser traduzidas para o português em diferentes modos e quem faz o trabalho de tradução tem que escolher.

Há traduções antigas e modernas. As modernas são feitas com critérios rigorosos, normalmente acessoradas por equipes de tradutores, de pessoas espertas em crítica textual e bem letradas na língua portuguesa. Por isso, o primeiro critério é escolher uma versão moderna, traduzida recentemente. Consulte sempre no início da sua versão e veja que indicações há. Se não existe nenhuma indicação, é provável que não se trate de uma versão crítica, feita por equipes espertas.

Outro critério está ligado à própria confissão cristã. Sabemos que a Bíblia Protestante não tem 7 livros presentes em versões católicas. Por isso, se alguém é católico não convém escolher uma Bíblia Protestante.

Acredito que outro elemento importante na escolha de uma bíblia, é a presença de recursos, além do texto bíblico. Dou muito valor às introduções, às notas e eventuais anexos no final do texto. A Bíblia é um texto antigo e sem estudo é mais difícil de entendê-la. As notas ajudam muito a sua compreensão!

 

Bíblia Almeida

É a tradução mais usada pelos protestantes. Foi feita em 1753 por João Ferreira Almeida. É dita boa por que muito fiel aos textos originais disponíveis naquela época, mas as traduções antigas são muito rígidas. As versões que existem hoje em dia, obviamente, não são o texto exato publicado em 1753, mas foram revisados e colocados em linguagem moderna. A versão "Vida Nova" contém um bom material para o estudo.

 

Bíblia de Jerusalém

É aquela que uso normalmente. A Bíblia de Jerusalém é o resultado de um trabalho organizado pelos domenicanos, uma ordem religiosa católica, responsável pelo famoso Instituo Bíblico e Arqueológico mais antigo da Terra Santa, o École Biblique de Jérusalem. A tradução nasceu aos poucos, a partir do fim da II Guerra Mundial, e foi publicada em fascículos, um para cada livro. Em 1956 esses fascículos foram reunidos e nasceu assim a Bible de Jérusalem. No Brasil, ela é publicada pela Editora Paulus.

 

Tradução ecumênica

É uma versão muito boa, feita por biblistas de diferentes denominações cristãs. Trata-se de uma obra realizada, primeiro de tudo, em francês e em seguida traduzida para o português e publicada em 1994 pela Loyola (O Novo Testamento foi publicado em 1987). Essa edição é conhecida como TEB (em francês: TOB).

 

Outras traduções

As traduções têm se multiplicado em ambiente português. Para o mundo protestante, o site de referência é a Sociedade Bíblica. Para o mundo católico, poderíamos citar a Edição Pastoral, a Bíblia Vozes, a edição da CNBB, entre outras.

1672 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook