Uma janela sobre o mundo bíblico

Meu pastor não soube explicar a parábola de Lázaro e do rico. Alguém pode me ajudar?



  • Pergunta de Sivia Moraes, Cubatão, SP
  • 1840
  • 17/10/2015
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Lázaro | Parábolas |


A Bíblia é um livro vital, como um baú, do qual se tiram coisas novas e velhas. Você, de cada texto, pode tirar coisas diferentes. Por isso, cada explicação de um texto pode trazer coisas novas ou mensagens já escutadas por você. A Bíblia é lida com a vida. E por isso, além da objetividade da mensagem, conta muito a experiência pessoal de quem a lê. Por isso gosto de dizer que cada texto tem uma mensagem, que pode ser superficial ou mais profunda. Esse nível depende um pouco dos instrumentos que o leitor tem em mãos. Alguém que nunca estudou tem mais dificuldades para entender detalhes, mas de qualquer forma poderá sempre tirar uma mensagem. Um estudioso poderá ler o texto com olhos críticos, entender mensagens implícitas. Mas pode também perder de vista elementos que outros veem com clareza. Isso vale para muitos textos, mas sobretudo para as parábolas.

Exatamente, o texto que você menciona é uma parábola. Isto é: trata-se de uma história inventada, contada para tirar uma mensagem que vai além da narração em si. Portanto, não devemos ficar na letra, não devemos nos questionar sobre o fato em si, mas ver o que Jesus quer transmitir com ela. Só para dar um exemplo inerente à Parábola do Mau rico e do Pobre Lázaro (Lucas 16,19-31), se ficássemos na letra, teríamos que pensar que o céu e o inferno ficam pertos um do outro, de modo tal que quem está em um lugar possa conversar com quem está no outro. Isso não é assim! É apenas um recurso literário, pois de fato quem está no inferno não pode conversar com quem está no "seio de Abraão".

 

Qual a mensagem da Parábola do Mau rico e do Pobre Lázaro?

Como disse, lendo é possível tirar várias ensinamentos, tal como a solidariedade necessária de quem está bem financeiramente para com quem está em dificuldades. Mas acredito que o cerne da parábola se encontra no diálogo entre Abraão e o rico que pede que ele envie mensageiros à sua família para que se convertam:

Abraão: "Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos"
Rico: "Não, pai Abraão, mas se alguém dentre os mortos for procurá-los, eles se arrependerão"
Abraão: "Se não escutam nem a Moisés nem aos profetas, mesmo que alguém ressuscite dos mortos, não se convencerão"

Há dois elementos sublinhandos: "Moisés e profetas" e "alguém ressuscite dos mortos". O primeiro binômio é sinônimo de Escrituras, de Primeiro (Antigo) Testamento. As escrituras nos ensinam como chegar ao céu, nos ensinam o que fazer, nos mostram a direção, nos dão as pistas para chegar até o "seio de Abraão". E, acima de tudo, fazem entender a figura de Jesus, que "ressuscita dos mortos". De fato, em João Jesus diz que as escrituras falam dele e que é impossível não acreditar nele se se crê nas escrituras.

Portanto, concluo dizendo que a mensagem da parábola mencionada é que devemos abraçar a Palavra de Deus como verdadeira bússula que nos mostra a estrada para o céu, que aponta para Cristo, único caminho para a Vida.

1840 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook