Uma janela sobre o mundo bíblico

Túmulo de Jesus com Madalena e filho?



Leia mais sobre Apócrifos | Maria Madalena |


O canal de televisão dos Estados Unidos Discovery (Discovery Channel) está colocando em onda um documentário intitulado “O sepulcro perdido de Jesus”, que defende a hipótese que Jesus foi sepultado com Maria Madalena e, possivelmente, com o filho Judas. Trata-se de uma história incrível, que não tem nenhum acordo entre os arqueólogos. Primeiro de tudo os restos arqueológicos foram encontrados, na periferia de Jerusalém, em 1980 e estudados pelo Prof. Amos Kloner, arqueólogo de Israel. Naquele período e nos 27 anos seguintes tais restos não fizeram nenhuma impressão. O filme-documentário quer mostrar que em Jerusalém foi encontrado um tipo de túmulo familiar da família de Jesus e Maria Madalena. Amós Kloner disse que a teoria do documentário é “impossível” e “sem sentido” e que não tem nenhum indício de que Jesus e seus parentes tivessem uma sepultura de família.

Os restos arqueológicos encontrados pertencem ao governo de Israel. O documentário, invés, numa tentativa quase absurda, inclui entre esses restos outros que teriam pertencido a Tiago, que atualmente não pertence ao governo de Israel, mas é de um colecionador chamado Golan. O documentário defende a tese segundo a qual um dos ossuários teria desaparecido da coleção da Autoridade de Antiguidades de Israel. Esse ossuário seria exatamente do assim chamado “Tiago, irmão de Jesus”. Depois da entrevista que lançou o documentário foi descoberta uma foto desse ossuário tirado no início do ano 70, que comprovaria a falsidade da teoria, visto que se o túmulo foi descoberto em 1980, um objeto que veio dele não pode ter sido fotografado em 1970.

De qualquer forma o site do Discovery Channel diz que os responsáveis do documentário, Simcha Jacobovici e seus colegas, teriam reunidos evidências científicas, “incluindo análise de DNA feita em um dos mais famosos laboratórios genéticos do mundo” e também depoimentos de estudiosos que defendem que um túmulo de 2000 anos na zona do quarteirão de Talpiot possuía os restos de Jesus e sua mãe Maria, Maria Madalena e, talvez, seu filho Judas.

O túmulo continha 10 ossuários, 5 dos quais continham inscrições de nomes que o documentário conduz à família de Nazaré: Jesus, Maria, Mateus, José irmão de Jesus e Maria Madalena. Há também uma sexta inscrição traduzida como “Judas filho de Jesus”, sempre segundo o Discovery Channel. Todas as inscrições são em hebraico ou aramaico. Há uma que é em grego e diz “Mariamene e Mara”, que pode ser traduzida como “Maria conhecida como a mestre”.

Francois Bovon, professor de história da religião na Universidade de Harvard, diz que”Mariamne” era o nome dado a Maria Madalena, que aparece também no apócrifo “Atos de Felipe”, que cita os apóstolos e Mariamne, irmã do apóstolo Felipe.

Os responsáveis do documentário recolheram restos do ossuário de "Jesus" e "Mariamene" para o teste do DNA. "Os restos humanos foram analizados por Carney Matheson, um cientista do Paleo-DNA Laboratory na Universidade de Lakehead University no Canadá. O exame do DNA determinou que os restos dos ossuários de Jesus e Maria não mostravam que eram parentes. Visto que os túmulos familiares normalmente têm parentes ou casais, Jacobovici sugere que Jesus e Maria fossem casados e que Judas pudesse ser filho deles.

O produtor executivo do filme é James Cameron e ele diz que o que eles mostram é a uma investigação. Literalmente afirma: “nós apresentamos o caso; e agora é hora do debate começar”

Essa é a tese do documentário, que já foi comprado por diversas televisões e quem sabe daqui a algum tempo estaremos vendo em nossas casas. Porém, repetimos, a nível científico, a sua posição é quase unanimemente criticada.

4576 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook