Uma janela sobre o mundo bíblico

Escavações na cidade bíblica de Hazor



Luiz da Rosa

Leia mais sobre Arqueologia |


Há muito tempo se fazem escavações na cidade da alta Galiléia, localizada na estrada que vai do lago de Tiberíates até às fontes do Rio Jordão. A novidade é que há pouco tempo foi aberto a visita ao palácio real, que foi descoberto nas escavações durante os anos 1990 a 2003, feitas pelas universidades de Jerusalém e de Madrid.

Hazor aparece na Bíblia quando se fala da expedição militar feita pelo sucessor de Moisés no norte do país (Josúe 11,1-10): Quando Jabim, rei de Hazor, ouviu isso, enviou mensageiros a Jobabe, rei de Madom, e ao rei de Sinrom, e ao rei de Acsafe, e aos reis que estavam ao norte, na região montanhosa, na Arabá ao sul de Quinerote, na baixada, e nos planaltos de Dor ao ocidente; ao cananeu do oriente e do ocidente, ao amorreu, ao heteu, ao perizeu, ao jebuseu na região montanhosa, e ao heveu ao pé de Hermom na terra de Mizpá.
Saíram pois eles, com todos os seus exércitos, muito povo, em multidão como a areia que está na praia do mar, e muitíssimos cavalos e carros.
Todos esses reis, reunindo-se, vieram e juntos se acamparam às águas de Merom, para pelejarem contra Israel.
Disse o Senhor a Josué: Não os temas, pois amanhã a esta hora eu os entregarei todos mortos diante de Israel. Os seus cavalos jarretarás, e os seus carros queimarás a fogo.
Josué, pois, com toda a gente de guerra, sobreveio-lhes de repente às águas de Merom, e deu sobre eles.
E o Senhor os entregou na mão dos israelitas, que os feriram e os perseguiram até a grande Sidom, e até Misrefote-Maim, e até o vale de Mizpe ao oriente; e feriram-nos até não lhes deixar nem sequer um.
Fez-lhes Josué como o Senhor lhe dissera: os seus cavalos jarretou, e os seus carros queimou a fogo.
Naquele tempo Josué voltou e tomou também a Hazor, e feriu à espada ao seu rei, porquanto Hazor dantes era a cabeça de todos estes reinos.
E passaram ao fio da espada a todos os que nela havia, destruindo-os totalmente; nada restou do que tinha fôlego; e a Hazor ele queimou a fogo.

O palácio do rei de Hazor, que foi contruído entre 1.500 e 1.200 antes de Cristo, tem no centro uma plataforma, provavelmente para o uso do culto. As parades são feitas de tijolos cozidos ao sol e algumas partes são decoradas com basalto. Foram encontradas algumas estátuas de bronze e pedra. Porém a expectativa maior é aquela de encontrar os arquivos reais, que sempre foram encontrados nos lugares como esse. Infelizmente até agora não foram encontrados, exceto pequenos fragmentos de escritos em argila, com escritura cuneiforme, com textos em língua acádica. Um desses escritos é dirigida a “Ibni Adu, rei de Hazor”.

As pesquisas mostram que o palácio foi destruído por um grande incêndio, que segundo os arqueólogos pode ter sido aquele contado na Bíblia.

Um dos argumentos mais discutidos nestes tempos, no campo da história e arqueologia bíblica, é exatamente o da origem de Israel. Com as escavações dos “tell” (colinas, ruínas de cidades antigas) mais importantes da Palestina, como o de Hazor, existe a esperança de poder esclarecer como se deu a conquista das cidades cananéias por parte dos hebreus e determinar a extensão da conquista que os textos bíblicos dizem que foram dados como herança às várias tribos de Israel. Hazor foi dada à tribo de Neftali.

Veja fotos das escavações

3294 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook