Uma janela sobre o mundo bíblico

Códice de Alepo, uma bíblia de 920 depois de Cristo



Luiz da Rosa

Leia mais sobre Manuscritos bíblicos |


Um pedaço de 8 centímetros do Códice de Alepo, um manuscrito da Bíblia Hebraica de 1087 anos, foi vendido ao Instituto Ben Zvi de Jerusalém, depois de18 anos, durante os quais os estudiosos de Israel tentavam adquiri-lo de Sam Sabbagh. Sabbagh salvou esse fragmento de um incêndio em Alepo, na Síria, em 1947, quando uma multidão, com raiva, queimou a sinagoga, depois da decisão das Nações Unidas de criar um estado Hebraico na Palestina. Desde então Sabbagh levou consigo esse manuscrito como se fosse um amuleto. Ele morreu há dois anos.

Com palavras dos dois lados, o fragmento e uma das partes que faltam ao codice. O manuscrito è uma copia da Biblia escrita em 920 depois de Cristo, em Tiberiades, por Shlomo Bem Buya’a. 100 anos após a sua escritura, ele foi comprado pela comunidade karaita, que o transferiu para Jerusalém. Durante as cruzadas a sinagoga foi invadida e os livros foram levados para o Egito. Durante os 300 anos seguintes ficaram por ali, onde, segundo Maimonides, eram muito bem cuidados. Em 1375 foi levado para a Síria e desde então é conhecido como “Códice de Alepo”.

O pedaço em questão traz uma passagem do livro do Êxodo, com as palavras de Moisés ao Faraó: “Deixa partir o meu povo para que possa servir...”

O inteiro Códice de Alepo hoje está no Museu do livro, em Jerusalém. Originalmente ele tinha 487 folhas, mas hoje possui apenas 294. A maior parte do Pentateuco, os primeiros 5 livros da Bíblia, foi perdida, assim como os últimos livros: Eclesiastes, Jô, Ester e Esdras.

Alguns dizem que existem outros fragmentos do Códice, que podem ter sido recuperado durante o incêndio em Alepo, em 1947. Mas isso é apenas uma hipótese.

4077 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook