Uma janela sobre o mundo bíblico

Morreu o rabino que “conversou” com Jesus



Luiz da Rosa

Leia mais sobre Judaísmo |


Morreu no passado sábado o rabino Jacob Neusner, um académico e autor que influenciou os estudos do judaísmo nos Estados Unidos e não só.

A influência de Neusner chegou ao Vaticano, onde o então Papa Bento XVI o citou longamente numa das suas obras de maior divulgação, a trilogia sobre a vida de Jesus Cristo.

O então Papa, que assinou os livros na qualidade de teólogo, referiu-se ao livro “A Rabbi Talks With Jesus” (Um Rabino Conversa com Jesus), para ilustrar a forma como as palavras de Cristo seriam recebidas por um judeu devoto.

Nesse livro, Neusner imagina-se sentado com os seguidores de Jesus durante o Sermão da Montanha, em que Cristo profere as bem-aventuranças. Em formato de discurso directo, Neusner enumera os vários pontos em que concorda com os ensinamentos de Jesus, mas diz-se incapaz de ultrapassar uma barreira final. Quando Cristo afirma que “o filho do Homem é Senhor do Sábado”, Neusner considera que está a ir longe de mais, uma vez que “só Deus é Senhor do Sábado”, pelo que se vê obrigado a não o seguir.

O livro é escrito num tom amistoso, não obstante a divergência final, e reflecte o empenho do rabino no diálogo inter-religioso tanto com cristãos como com muçulmanos.

O académico judeu encontrou-se pessoalmente com Bento XVI quando este visitou Washington, em 2008.

Neusner escreveu ou editou mais de 950 livros, segundo a agência americana “Jewish Telegraph Agency”, incluindo traduções de algumas das obras religiosas mais significativas do cânone judaico.

O rabino nasceu em 1932 e morreu aos 84 anos, “rodeado da sua família, como sempre quis”, disse o seu filho Noam Neusner.

2284 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook