Uma janela sobre o mundo bíblico

Os gafanhotos que João Batista comia eram insetos ou sementes?



  • Pergunta de Nilza , Rio de Janeiro - RJ
  • 2106
  • 24/11/2016
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Gafanhotos |


 Olá Nilza do Rio de Janeiro - RJ!

Pelos conhecimentos que a Bíblia nos fornece, os gafanhotos não eram insetos estranhos as populações de Israel. A Bíblia cita ele, até mesmo como pragas as plantações inúmeras vezes. Assim podemos dizer que João Batista no deserto, para sobreviver se alimentou com eles. Portanto, falar em sementes até poderia ser que fizesse parte de seu cardápio, pois que nos arbustos do deserto e especial no tempo de inverno em que o deserto desenvolve uma camada verde e pequenos arbustos existisse ali semente que eram consumidas pelos habitantes do deserto. O instinto de sobrevivência fazia que estas pessoas tivessem conhecimento de todas as possibilidades de alimentação. A começar pela água onde se encontravam as fontes.

Qual foi o gafanhoto que João Batista se alimentou?

Provavelmente o gafanhoto Locustra que devorava as plantações foi o tipo de gafanhoto que João se alimentou no deserto. Pensar e acreditar que o alimento de João Batista no deserto foi gafanhotos contradiz um bom número de estudiosos, que não se cansam de afirmar, que João se alimentava com a secreção de um arbusto do deserto a semelhança do maná que os israelitas se alimentaram no regresso de volta do Egito pra a Terra da Promessa.

Estes gafanhotos devoradores, que apareciam em nuvens e atacavam as poucas plantações da Palestina foi à espécie que João encontrou no deserto e serviu de alimento para saciar a sua fome. O texto de Joel 1,4 narra à presença desta praga em Israel:

 “4 O que o gazam deixou, o gafanhoto o devorou! O que o gafanhoto deixou o yeleq o devorou! O que o Yeleq deixou, o hasil o devorou” (Joel 1,4) Bíblia de Jerusalém.

Se alimentar com insetos = o gafanhoto, não era proibido pela lei Judaica no antigo Israel. O livro do Levítico em 11, 20-23 descreve como alimento de consumo humano.

A forma de preparação da “locustra ou gafanhoto” no cardápio dos antigos:

Eram cortadas as cabeças e pernas desses insetos, que depois de secados ao sol era salgado e servido com uma espécie de "manteiga" (naturalmente não é a manteiga que usamos hoje), mas era uma espécie de gordura vinda do leite). Hoje temos o conhecimento, pelo dizer dos nutricionistas que este alimento é muito rico em proteínas, cerca de 75% são proteínas. Não sabemos se o sabor era apetitoso, mas o sustento do organismo humano como alimento era muito grande ao comer gafanhotos.

2106 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook