Uma janela sobre o mundo bíblico

Novo Testamento mais antigo do mundo está online



Leia mais sobre Formação da Bíblia |


Há alguns dias está na internet uma das mais antigas cópias da Bíblia, escrita há 1.600 anos. Trata-se do Codex Sinaiticus, um manuscrito da Bíblia cristã, escrito na metade do século IV, que contém a mais antiga cópia do Novo Testamento inteiro. O texto é escrito em grego. O Novo Testamento é escrito na língua vernácula (koiné) e o Antigo Testamento na versão conhecida como Septuaginta, usada pelos primeiros cristãos. Na cópia, a Septuaginta e o Novo Testamento têm inúmeras anotações feitas por corretores já no século IV, mas também sucessivamente, até o século XII. Há outros manuscritos com textos bíblicos mais antigos, porém nesses casos trata-se somente de pedaços. Este é o primeiro o livro mais antigo com todo o Novo Testamento (o site: www.codex-sinaiticus.net ).

O Codex Sinaiticus comprende cerca de 400 “folhas” de pergaminho (pele de animal), que medem 380mm de altura por 345 de largura. O texto comprende praticamente a metade do Antigo Testamento e todo o Novo Testamento. Além desses textos há também outros dois textos cristãos, não presentes na Bíblia de hoje: uma carta do apóstolo Barnabé e “O Pastor” do escritor romano chamado Hermas. A primeira parte do Antigo Testamento, do Gênesis até 1Crônicas não existe no manuscrito. Porém são incluídos alguns dos livros ausentes na Bíblia protestante: 2Esdras, Tobias, Judite 1 e 4 Macabeus, Sabedoria e Eclesiástico.

Quanto ao Novo Testamento, o número de livros é o mesmo das bíblias de hoje, embora a ordem seja diversa para alguns livros. A carta aos Hebreus é colocada após a 2Tessalonicenses e o Atos dos Apóstolos entre as Cartas Pastorais e Católicas.

O nome Codex Sinaiticus tem sua origem no mosteiro Santa Catarina, que está aos pés do Monte Sinai, no Egito. O livro se encontrava ali até que, a partir de 1844, em 3 diferentes ocasiões, Contantine Tischendorf, “levou” consigo para a Inglaterra. Em 1933, a União Soviética comprou 347 folhas do livro, que atualmente estão na British Library, em Londres. Outras 43 folhas estão na Biblioteca da Universidade de Leipzig. Partes de 6 folhas são conservadas na Biblioteca Nacional da Rússia, em São Petersburg. E, finalmente, 12 folhas e mais 40 fragmentos continuam no Mosteiro de Santa Catarina, descobertas pelos monges em 1975.

O acordo para a publicação na internet foi feito entre as 4 instituições em 2005. Este acordo prevê, além da internet, medidas que visam a conservação, a fotografia, transcrição e publicação de todas as páginas do Codex Sinaiticus.

5871 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook