Uma janela sobre o mundo bíblico

Várias pessoas, algumas com vários anos de caminhada, estão preocupadas com prováveis adulterações na Bíblia Ave Maria...



  • Pergunta de Fernando Y. Kanizawa, Goiânia-GO
  • 997
  • 30/03/2017
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Traduções da Bíblia |


Continua a pergunta:

Isso pode acontecer sendo de uma grande editora? Como posso saber que sim ou que não? Tenho que lê-la inteira comparando com outra?

 

Há um provérbio pessimista, em relação às traduções, que diz que toda tradução é uma traição. Obviamente não é totalmente verdadeira, mas tal frase revela um aspecto que pode existir nas versões dos textos de uma língua para a outra, coisa também plausível com a Bíblia.

A "Ave Maria" é uma versão clássica da Bíblia Católica editada pelos Claretianos, pela Editora Ave Maria. Publicada pela primeira vez em 1957, esta foi a primeira tradução da Bíblia feita no Brasil não mais a partir da Vulgata latina, mas a partir da tradução francesa dos monges de Maredsous, da Bélgica, que, por sua vez, era traduzida das línguas originais: hebraico, aramaico e grego. A edição surgiu sob o patrocínio do Centro Bíblico Católico de São Paulo. Seu texto pode ser acessado na internet.

Não tenho em mãos essa versão e não a uso. É muito popular entre os católicos. Também, infelizmente, não conheço as atuais edições, que provavelmente são revisadas a partir dos textos originais, por pessoas de bastante competência, pois, hoje em dia, é impossível estar no "mercado" com uma versão do texto sagrado que não tenha sido escrupulosamente trabalhado.

Não é fácil julgar uma tradução. A coisa mais lógica seria ir até os originais e fazer o juízo a partir daí. Mas nem sempre esse exercício é possível. Uma das maneiras acessíveis, visto que há vários textos bíblicos OnLine, é tomar alguns textos que podem ser mais problemáticos e comparar. Façamos um exercício, nesse sentido, comparando o início do Evangelho de João (1,1-5.

1. Ave Maria

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio junto de Deus. 3 Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. 4 Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

2. João Ferreira de Almeida, revista e ampliada

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. didaskalia xl (2010)1 as edições da bíblia em circulação no brasil Pag Didaskalia-1º Fasc_2010:Pag Didaskalia-1º Fasc 5/27/10 1:21 PM Page 117 118 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, (RC por ele) e, sem ele, nada do que foi feito se fez. 4 A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. (RC não a compreenderam)

3. Bíblia Sagrada, Edição Pastoral

1 No começo a Palavra já existia: a Palavra estava voltada para Deus, e a Palavra era Deus. 2 No começo ela estava voltada para Deus. 3 Tudo foi feito por meio dela, e, de tudo o que existe, nada foi feito sem ela. 4 Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 Essa luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram apagá-la.

4. Bíblia de Jerusalém

1 No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. 2 No princípio, ele estava com Deus. 3 Tudo foi feito por meio dele e sem ele nada foi feito de tudo o que existe. (RA e sem ele nada foi feito) 4 Nele estava a vida (RA O que foi feito nele era a vida) e a vida era a luz dos homens 5 e a luz brilha nas trevas, mas as trevas não a apreenderam.

5. Nova tradução na linguagem de hoje (NTLH)

1 No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus. 2 Desde o princípio, a Palavra estava com Deus. 3 Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela. 4 A Palavra era a fonte da vida, e essa vida trouxe a luz para todas as pessoas. 5 A luz brilha na escuridão, e a escuridão não conseguiu apagá-la.

6. Bíblia do Peregrino

1 No princípio já existia a Palavra e a Palavra se dirigia a Deus e a Palavra era Deus. 2 Esta, no princípio, se dirigia a Deus. 3 Tudo existiu por meio dela, e sem ela nada existiu de tudo o que existe. 4 Nela havia a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 A luz brilhou nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

7. Tradução da CNBB

1 No princípio era a Palavra, e a Palavra estava junto de Deus, e a Palavra era Deus. 2 Ela existia, no princípio, junto de Deus. 3Tudo foi feito por meio dela, e sem ela nada foi feito de tudo o que existe. 4 Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 E a luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram dominá-la.

8. Tradução Ecumênica da Bíblia

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava voltado para Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio voltado para Deus. 3 Tudo existiu por ele; e nada do que existiu existiu sem ele. 4 Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens, 5 e a luz brilha nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

Considere elementos importantes, principalmente a palavra grega LOGOS: 4 traduzem como "verbo" e outras 4 como "Palavra". Veja também o uso diferente das palavras "brilhar" (resplandecer) e trevas (escuridão).

Um verbo muito difícil de traduzir aparece no versículo 5: "katalambano", na terceira pessoa do plural. É a última palavra do texto citado acima. Em grego pode significar colher, apoderar-se, agarrar, compreender, apreender, subjugar. Resulta evidente a necessidade de uma escolha. Vejamos o que se deu com as traduções que elencamos. Os tradutores da Ave Maria, Peregrino e Ecumênica optaram por compreenderam. O tradutor da Jerusalém se serviu de apreenderam. Já Pastoral e NTLH usaram o verbo apagar, o que se justifica se se trata da luz. A tradução da CNBB emprega o verbo dominar. Oscilamos entre os significados compreender e subjugar. A Almeida RA usa o verbo prevalecer, a Almeida RC usa o verbo compreender. As questões que envolvem a tradução deste versículo não aparecem somente em português e as edições bíblicas de estudo sempre trazem uma nota revelando a outra possibilidade de tradução que não foi aquela escolhida para figurar no texto.

 

Em conclusão

Não é fácil verter textos difíceis e antigos, como são aqueles bíblicos, nas nossas línguas modernas. Muitas vezes a tradução é uma questão de escolha. Obviamente toda escolha é condicionada por certa ideologia, cosciente ou inconsciente. Ela pode ser influenciada por compreensões teológicas ou também por conclusões influenciadas meramente pelo aspecto linguístico. Acredito que poucas vezes existe uma intenção de deturpar a palavra de Deus.

997 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook