Uma janela sobre o mundo bíblico

Quando Deus chamou Jeremias pra ser profeta, desceu à terra para falar com ele ou foi jeremias quem subiu ao céu?



  • Pergunta de Aderson, Maceió
  • 1968
  • 05/04/2017
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Jeremias | Vocação |


A vocação do profeta Jeremias é um dos elementos mais tratados da teologia bíblica. O ambiente em que viveu, no contexto do eminente Exíliio em Babilônia, e a sua própria biografia chamam a atenção do leitor, assim como deve ter chamado a sua.

Jeremia começa seu livro contando: "A palavra de Iahweh me foi dirigida nos seguintes termos..." E então se conta que Deus, desde sempre (antes de te modelar no ventre materno), o conhecia e o havia consagrado como profeta. Como sempre, também Jeremias não tem tanta disposição de responder "sim", dizendo, como é clássico nas vocações bíblicas, que era uma criança, que não sabia falar...

Essa dinâmica descrita em Jeremias 1 parece, na verdade um diálogo entre os dois, duas pessoas que conversam. Acredito que isso lhe tenha induzido a fazer essa pergunta, digamos, materialista. Através de nossas próprias vidas, sabemos que o encontro com Deus não é tão material, mas acontece em outra esfera. Trata-se de uma conversa íntima, caracterizada pela busca recíproca, pela meditação, pela oração. Foi assim também com Jeremias. Não houve um encontro "material", mas um encontro espiritual. E, como sempre acontece, Deus sempre dá o primeiro passo, esperando a nossa resposta.

Reproduzo aqui um texto de Reuberson Rodrigues, presente em um outro post no nosso site, que pode ajudar a entender a vocação de Jeremias.

 

JEREMIAS: um chamado ontológico

Poucos relatos bíblicos são tão prenhes de detalhes e minúcias como o texto da vocação de Jeremias (Jr 1,4-19).A própria figura de Jeremias é bastante rica. Diferentemente das outras vocações analisadas, há um livro inteiro que se detêm em refletir sobre a vida e a missão do profeta. Desde a sua reluta em assumir o ministério de profeta até os seus vaticínios sobre a destruição de Jerusalém, tudo está registrado no livro que leva o nome dele.

Jeremias, segundo narra a própria Bíblia, está inserido no Reinado de Josias(Jr 1,3). Historicamente costuma-se afirmar que esse reino deu-se , aproximadamente, no século VI a. C. Nesse contexto, Judá está as voltas com o Império Babilônio. Embora sendo um reino quase que insignificante e tendo sua importância mais por está num corredor de passagem comercial [13], os Israelitas irão opor-se aos Babilônicos – confiando nos Assírios - conseqüentemente serão destruídos(Jr 52,12-23). Nesse ambiente é que ocorre o chamado de Jeremias.

No capitulo primeiro de livro que leva o nome do profeta ele diz: “ A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos...”(vv.4). Importante notar que o chamado de Jeremias, assim, como o e Samuel é fruto da Palavra do Senhor. Em seguida o profeta fala que Deus o havia chamado deste da terna infância, desde o ventre materno o tinha escolhido e consagrado (vv 5). Nesta passagem não há um relato histórico-biográfico, antes há um descrição de uma experiência de Deus. Para Jeremias ter experimentado Deus é um realidade ontológica , faz parte do seu ser, da sua constituição. Desde sempre e para sempre Deus lhe chamou para a missão de profeta. Assim, a vocação de Jeremias é algo visceral que ele descobre mais tarde revisitando a sua própria história e narrando-a.

Jeremias, tal qual grande parte dos profetas do AT, tende naturalmente a apresentar obstáculos para assumir seu chamado, sua vocação. O argumento que ele usa para não aceitar o chamado é de que é uma criança(Jr 1,6-7), que é indefeso, que não saberá o que falar. Deus, contudo, dirime essa fraqueza. Ele assegura a Jeremias que não há motivo ,nem é momento para temer, pois Deus está ao seu lado(Jr 1, 8).

Mitigada essa aporia, Jeremias é capacitado para seu trabalho. Ele recebe do próprio Deus, sua palavra (Jr.1,9) e tem como missão “Arrancar e destruir; exterminar e demolir; construir e plantar”(Jr 1,10 ). Em termos políticos Jeremias tem a missão de alertar o povo de Israel que sua frágil aliança com os Assírios não lhe garantirá sucesso e que eles serão dominados pelos Babilônios com a queda dos Assírios. Em termos religiosos, a destruição de Israel ocorrerá porque eles estavam adorando falsos deuses(Jr 1, 15-16; 2,26-28).

Jeremias é alertado para o desafio do anúncio que têm que fazer em nome de Deus. Ele tem, diz a sagrada escritura, que dirigir-se ao povo de Judá anunciado que esse reino – do Sul - está eminentemente ameaçado pelo norte de onde está vindo os babilônicos(Jr 1, 11-16). Essa é a missão clara que Deus lhe confia. Todavia, o Senhor não apenas garante que estará com o profeta,antes o capacita. Deus cinge o seu rim(Jr 1,17a), portanto o prepara, o coloca na atitude de seguir, de caminhar. De igual modo, Deus é que lhe fará profetizar(Jr. 1, 17b). Ele não falará por si mesmo, mas pela força da palavra Divina[14]. Sua missão de “Arrancar e destruir; exterminar e demolir; construir e plantar”(Jr 1,10 ) é missão de Deus. Ele é quem vai julgar o infiel reino de Judá(Jr 1,16). Por isso serve-se da mediação de Jeremias, faz dele uma cidade forte, uma muralha de bronze diante dos grandes da terra(cf. Jr. 1,18). Em poucas palavras, a vocação de Jeremias consiste em ser um interprete “profético” da Palavra de Deus.

Sinteticamente, Jeremias tem uma vocação ontológica(comunhão com Deus). Revisitando sua história o profeta descobre que servir a Palavra de Deus é algo visceral em sua vida. Se ele não fizesse isso estaria negando a si mesmo (Jr 1,5). Mesmo sabendo dessa condição ele tenta negar a si próprio e abandonar sua vocação vendo que a empresa é árdua e complicada. Contudo, o Senhor assegura que estará com ele e que sua missão é apenas ser instrumento da palavra Deus. Anunciando ao povo que a culpa pelo Exílio(que acontecerá em breve) e dele próprio e das próprias alianças que fizeram e dos falsos deuses que adoraram. Em poucas palavras a vocação de Jeremias é de ser mediação da Palavra de Deus entre os homens.

Embora com Jeremias não se encerre todo o cenário vocacional no Antigo Testamento e que muitos homens e mulheres, nos outros diversos livros da Bíblia, tenham sido chamados por sua comunhão com Deus para servir ao povo escolhido, estes que foram apresentados até agora são suficiente para que se vislumbre uma panorâmica a cerca de como se configura o chamado nos escritos do primeiro Testamento. Sendo assim, pode-se adentrar no universo Neotestamentário com o escopo de dar visibilidade ao que é entendido como chamados nesses textos.

1968 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook