Uma janela sobre o mundo bíblico

Detalhes sobre a vida dos Fariseus e Saduceus.



  • Pergunta de Renato Azevedo, Cambui-MG
  • 1240
  • 23/04/2017
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Fariseu |


Olá Renato Azevedo de Cambui-MG !

Iniciemos a resposta a sua pergunta respondendo pelo grupo dos Fariseus, na época de Jesus e que são citados tantas vezes nos evangelhos e nas controvérsias com Jesus.

Na época de Jesus existiam pelos menos 7 grupos de pessoas que seguiam maneiras de vida e acreditavam em verdades próprias para serem observadas pelo povo. Estes grupos eram os seguintes:

1.- Os Fariseus

2.- Os Saduceus

3.- Os Herodianos

4.- Os Zelotes

5.- Os Essênios

6. – Os Batistas

7 – Os samaritanos

Quem eram os Fariseus:

A origem deste movimento tem como ponto de partida a classe trabalhadora. O surgimento deles provem dos “piedosos” que pertenciam a luta armada de Judas Macabeu. Eles provinham, na época de Jesus das camadas sociais dos artesãos, pequenos comerciantes e gente pertencente à classe média.

Tinham características de serem nacionalistas e de odiarem os estrangeiros. Na época de Jesus eram moderados e aceitavam a política da convivência imposta pelos conquistadores romanos.

Na Judeia eles faziam a política dos sacerdotes de Jerusalém e das classes ricas de Jerusalém.

Os fariseus e suas atitudes políticas.

Conseguiram manipular o povo e exerce autoridade sobre ele. Aparentemente se apresentavam como partido das massas populares e contra a aristocracia. O povo sem alternativa os respeitavam, pois possuíam peso político sem exercerem o poder.

A ideologia dos fariseus.

 - Alimentavam o ideal de expulsão dos estrangeiros, que queriam acabar com a religião e com a cultura judaica.

- Organizaram as Sinagogas depois da destruição do Templo (70 D.C.) e passaram ter grande poder.

- Por causa da conduta moral eram respeitados pelo povo.

- Conheciam e estudavam a lei, os mandamentos de Moisés.

-Quanto à doutrina: acreditavam na ressurreição; Deus interviria e salvaria Israel; o Messias expulsaria os Romanos; preparavam o dia de Javé com orações e jejuns.

Pratica religiosa dos Fariseus.

Na época de Jesus se consideravam os donos da consciência do povo. Jesus constantemente debatia com eles, queriam a morte de Jesus. Exemplo: o incidente na sinagoga de Nazaré em que queriam joga-lo no precipício.

Pratica de uma religião individualista

Centralizaram a pratica religiosa na convicção que a salvação é individual.

Religião fechada dos fariseus.

Obediência cega à lei.

Conheciam e queriam que todos praticassem mais de 600 leis minuciosas. Se voltavam mais para o outro mundo não para a realidade. Desprezavam aqueles que não praticassem essas leis.

Ainda mais: Defendiam a estrutura opressiva do Templo de Jerusalém e o Sacerdócio. Recomendavam o pagamento dos dízimos, e taxas.

Os Saduceus, quem eram?

A origem deste movimento está ligada a nobreza leiga e sacerdotal. Eles pertenciam na época de Jesus as camadas sociais dos anciãos do Sinédrio e aos chefes dos Sacerdotes ligados ao Templo de Jerusalém. Faziam alianças com os estrangeiros, assim foi na época da presença dos gregos na Palestina, como depois na presença dos Romanos. Tudo valia para eles desde que tivessem vantagens.

Tinham características de serem conservadores. Na época de Jesus eram colaboradores com o Império Romano, para permanecerem em seus cargos e aceitavam a política da convivência imposta pelos conquistadores romanos.

As atitudes políticas dos Saduceus

Os Saduceus eram um grupo influente na organização do Templo de Jerusalém e manipulavam o povo exercendo autoridade sobre ele. Eram arrogantes em suas atitudes e durões com os pequenos. Usavam uma política de conciliação, desde que não prejudicasse e mudasse suas vidas.

A ideologia dos Saduceus

Teologicamente, aceitavam somente a Torá, escrita desprezando a lei oral. Negavam a ressurreição da carne enfrentando a Jesus (Mateus 22,23-33), nem acreditavam em anjos e espíritos (Atos dos Apóstolos 23,8). Tiveram um papel importante na condenação de Jesus (Mateus 26,57-66). Depois da destruição do Templo de Jerusalém em 70 d.C desapareceram do cenário.

Consulta:

CASONATTO, Odalberto Domingos, Como ler o Novo Testamento, em subsídios para a evangelização, Instituto de Teologia de Passo Fundo, (uso acadêmico), 1996.

SAULNIER, Christiane, ROLLAND, Bernard, A palestina no tempo de Jesus, cadernos Bíblicos 27, tradução de José Raimundo Vidigal, 2ª. edição, Paulinas, São Paulo, 1986, pag. 76ss.

SCHUBERT, Kurt, Os partidos religiosos hebraicos da época neo-testamentária, coleção Biblioteca de estudos bíblicos, 5, Paulinas, São Paulo 1979.

Brakemeier, Gottfried, Mundo Contemporâneo do NT, Sinodal, São Leopoldo 1984

ACO – CPO, A História do Povo de Deus. 3 volume, São Paulo 1999.

1240 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook