Uma janela sobre o mundo bíblico

Qual a diferença entre ecumenismo e proselitismo?



  • Pergunta de Antônio Sol, Brasil
  • 442
  • 14/05/2017
Odalberto Domingos Casonatto

Leia mais sobre Ecumenismo |


Olá Antônio Sol do Brasil!

Respondendo sua pergunta, começamos com o significado dos dois termos. Uma vez sabendo com clareza a natureza de cada vocábulo torna-se fácil entender a diferenças entre os dois.

Significado de ecumenismo: (palavra grega οἰκουμένη (oikouméne), mundo habitado) - Considerada a doutrina e a prática com inciativas próprias que buscam a reconstrução da unidade entre os cristãos. Unidade que ao longo da história pelos mais diferentes motivos separaram grupos de pessoas, formando novas Igrejas.

Significado de proselitismo: (do latim prosélytus, vindo do grego προσήλυτος) - Considerado o modo de agir que não está em conformidade ao espírito do evangelho, usando meios desonestos, e enganosos para atrair novos membros a suas comunidades. Este método aproveita da ignorância das pessoas, para enganar ou mesmo aproveita da pobreza em que vivem para atraí-los.

 

Diferenças entre ecumenismo e proselitismo:

O ecumenismo busca viver cada vez mais a fidelidade a verdade de Jesus Cristo e não aos homens.

O ecumenismo reúne comunidades para dialogarem em torno da pessoa de Jesus e seus ensinamentos.

O ecumenismo busca a unidade entre as Igreja considerando esta como fruto da ação da Igreja

O proselitismo mantém reservas ao ecumenismo, não participando do diálogo entre as Igrejas.

O proselitismo pensa que o ecumenismo é uma forma velada de atrair as pessoas para determinadas Igrejas.

O proselitismo desconhece os valores das outras Igrejas, atacando, menosprezando para atrair novos membros.

O proselitismo corrompe o testemunho buscando por caminhos desleais a conversão das pessoas a sua Igreja.

O proselitismo busca sempre prevalecer o êxito de sua Igreja esquecendo que o verdadeiro é buscar a glória de Cristo.

Consulta:

CNBB, Guia Ecumênico. Informações, normas e diretrizes sobre o ecumenismo, coleção Estudos da CNBB Nº 21, 2ª edição (revista e ampliada), Paulinas, São Paulo 1984.

442 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook