Uma janela sobre o mundo bíblico

Em Gênesis, Moisés informa as ações de Deus durante 6 dias (yom em árabe). Para os hebreus naquela época, a palavra yom conota o período de 24h? Algumas pessoas interpretam como sendo 6 períodos geológicos. Isso tem fundamento?



  • Pergunta de Sandra Jandira Pereira, Rio de Janeiro
  • 1132
  • 16/07/2017
Luiz da Rosa

Leia mais sobre Criação | Gênesis |


A criação é um tema muito presente nas perguntas feitas aqui no site. Dedicamos muitas respostas aos dois primeiros capítulos da Bíblia, repetindo sempre que as histórias narradas no início da Bíblia não devem serem lidas literalmente, mas como uma visão da criação de tudo a partir da fé em Deus. Ou seja, não é uma explicação histórica de como as coisas aconteceram, mas é uma explicação verdadeira que mostra a mão de Deus que tudo cria. Depois de séculos de doutrina explicada de maneira supercial, não é fácil aceitar essa interpretação, mas precisamos ter consciência que é a maneira correta de ler a história da criação bíblica.

Tendo como base esse raciocínio, muitas perguntas precisam ser redimensionadas. Por exemplo, todo o interesse em saber exatamente o "como" as coisas aconteceram não encontram respostas na Bíblia. A Bíblia diz "o que" aconteceu: Deus criou tudo. Essa é a verdade bíblica, da qual, como fieis, não podemos abrir mão. O "como" aconteceu, é uma questão aberta, a ser trabalhada e explicada pelas ciências. Para dizer que Deus criou tudo, o autor sagrado usa material literário que tinha à disposição, como os mitos. Obviamente aplica a tal background literário a sua fé e, por isso, traz novidade e não só reproduz os mitos do Oriente Próximo.

 

Os dias

A primeira história da criação, em Gênesis 1, divide a criação em 7 dias, yō·wm em hebraico, língua original desses textos. Nesse link você encontra todas as vezes que essa palavra aparece no texto hebraico da Bíblia. É evidente que aqui estamos falando de "dias", pois inclusive se fala de "tarde" e "manhã": "houve uma tarde e uma manhã", expressão repetida para cada um dos seis dias. No sétimo dia, como dia em 2,2, Deus descansa: "Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda a sua obra de criação" (Gênesis 2,3).

Sabemos que existem duas histórias da criação. A primeira foi a que descrevemos no parágrafo anterior, que coloca todo o universo ao centro da criação. Em gênesis 2,4b começa a segunda, aquele onde Deus cria o homem da argila e a mulher da sua costela, colocando-os, em seguinda, no jardim do Édem; essa segunda história tem o ser humano como centro. A primeira história teria sido escrita por um autor dito "sacerdotal". É, isto é, um texto que tem origem nos sacerdotes, nos responsáveis pelo culto. Isso se torna evidente observando as duas frases que coloquei sublinhadas no parágrafo anterior. Por que fazer de "tarde e manhã" como resumo de um dia e não de "manhã e tarde"? É porque o dia religioso para um judeu começa à tarde, é feito de tarde e manhã. Outro elemento decisivo se encontra na segunda frase: o repouso de Deus no sétimo dia. O repouso divino torna-se o modelo que o fiel deve imitar: é o shabat, o sábado. O esquema da criação em uma semana é adotado simplesmente para transmitir esse ensinamento, do repouso sabático.

 

Teologia e história na revelação divina

Como conclusão, gostaria de sublinhar que por trás do texto de Gênesis 1 existem os conhecimentos da época em matéria científica e as reflexões teológicas da escola que escreveu o capítulo. O ensinmaento teológico faz parte da revelação divina, mas o memso não acontece com os dados ligados ao estado embrionário dos conhecimentos da época sobre o mundo.

1132 visitas



Comentários

Os comentários são possíveis somente através da sua conta em FaceBook