A Páscoa, para os cristãos, é a festa que recorda a Morte e Ressurreição de Cristo, celebrada no primeiro domingo depois da primeira lua cheia que vem a partir de 21 de março, dia do início da primavera no hemisfério norte e do outono no sul.

O seu nome vem do termo hebraico Pessach, que significa "Passagem". Para os cristãos é a passagem da morte para a vida eterna, da qual Jesus é o exemplo para todos nós, pois através dEle todos nós teremos essa possibilidade.

A origem hebraica da palavra mostra que ela não é somente uma festa cristã, mas também judaica. De fato, o próprio Cristo morreu durante a celebração da festa pelos judeus. Mas obviamente os judeus não celebravam a morte e ressurreição de Cristo, mas a passagem do Mar Vermelho, quando esse mar se abriu para que os hebreus pudessem escapar do Egito, guiados por Moisés. Além da passagem pelo Mar, como conta Êxodo 11 - 12, a Páscoa que os judeus celebram até hoje, lembra a passagem do anjo pelas casas dos judeus, quando Deus ordenou a morte dos primogênitos, uma das pragas do Egito, aquela que antecede a saída definitiva dos hebreus daquele país que os escravizava. Os judeus, por ordem de Deus, haviam sacrificado um cordeiro e marcado as próprias casas com o sangue desse cordeiro. Quando o anjo encarregado de matar os primogênitos passava e via as casas marcadas com o sangue, "passava" adiante.

Também esse elemento se torna símbolo para a Páscoa de Cristo: ele é o cordeiro imolado e graças ao sangue que ele derrama, nós ganhamos a salvação, livres da morte eterna.