A sua pergunta é muito compreensível e digna de atenção. Começamos sublinhando que é a própria Bíblia que afirma que ninguém viu a Deus, em duas ocasiões:

  • João 1,18: Ninguém jamais viu a Deus: o Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o deu a conhecer
  • 1João 4,12: Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, deus permanece em nós, e o seu Amor em nós é perfeito.

Colocando nossa atenção na relação de Moisés com o Senhor, como você sugere, nos encontramos no livro do Êxodo. Certamente você tem em mente principalmente o evento da “sarça ardente”, que é o cerne da vocação de Moisés, o momento em que Deus se revela como “eu sou aquele que é”. Essa história se encontra em Êxodo 3. Mas basta ler o texto para nos dar conta que Moisés não fala exatamente com Deus, face a face. Primeiro de tudo, o texto na verdade diz que se trata do “Anjo de YHWH” (3,2). Além disso, é evidenciado como o lugar é santo:

“Não te aproximes daqui; tira as sandálias dos pés porque o lugar em que estás é uma terra santa”.

Outro momento importante é aquele em que Moisés sobe a Montanha para estabelecer a aliança com o Senhor (Êxodo 33,12 – 34,35). Também nesses textos existe uma reverência muito grande. Deus mesmos diz a Moisés: “Não poderás ver a minha face, porque o homem não pode ver-me e continuar vivendo”.

 

O que está por trás dessa impossibilidade do ser humano de ver a Deus?

Essa lógica tem a ver com a natureza divina e humana. Deus é transcendente e a natureza humana não alcança entender tudo o que Ele é. Nós podemos ver manifestações divinas, mas não toda a sua grandeza, por causa de nosso limite de criaturas. Quando pensamos que entendemos quem é Deus, quando pensamos tê-lo visto, tê-lo enquadrado nas nossas categorias, estamos limitando Deus e tirando do Mistério que ele é. Esse é o nosso fim, é a nossa morte, no sentido que perdemos o sentido da nossa natureza e confundimos quem Deus é. De fato, não pode ser limitado por nós, vista o seu ser infinito. Se Deus fosse coberto por um véu, tirando esse véu encontraríamos outro e assim até o infinito. O que conhecemos de Deus é apenas algo limitado, impressões, “anjos”. A verdadeira essência de Deus é inalcançável, não se pode ver.