Uma novela é uma novela. Embora tenha um tema bíblico, muitas coisas são inventadas para atrair os telespectadores. E as invenções, que não concordam com a narração Bíblia, geralmente tem a ver com as intrigas, as fofocas e os romances. A Bíblia não se detém nesses aspectos e só os menciona se serve para contar a história da salvação, para mostrar como o plano de Deus se realiza.

Gosto que se tome os temas bíblicos para o mundo das artes, seja qual for. Mas é importante que o destinatário tenha consciência daquilo que está na Bíblia e assim possa julgar por conta própria até que pondo a intuição artística tem a ver com a Bíblia, até que pondo ajuda a compreendê-la ou é apenas uma carona pega pelo artista para divulgar seu próprio produto. Às vezes penso que muitas novelas bíblicas sofrem muito essa última influência. Mesmo assim acho que é bom ver essas novelas, mas é imprescindível que o telespectador dedique um pouco de tempo para paralelamente ler o que a Bíblia diz e assim ter parâmetros para julgar.

Para a questão que você põe, leia a partir de Gênesis 28. O conflito entre as duas irmãs acontece mais exatamente nos capítulos 29 e 30. Tudo é por causa dos filhos, pois sabemos bem que naquele tempo era importante a descendência. Os filhos de Jacó, além do mais, serão importantíssimos para a história de Israel, pois serão eles que darão os nomes às 12 tribos. Alguns deles são filhos de Raquel e outros de Lia e a disputa entre as duas é exclusivamente relacionada com a fecundidade, dom que Deus preserva em ambas. Ambas são esposas de Jacó e o tema do “ciúme” do marido não aparece na Bíblia.