Para nós cristãos, o dia de descanso é o domingo, conforme faziam já faziam os primeiros cristãos, enquanto que para os judeus continua a tradição bíblica do Sábado.

Embora a resposta seja simples, como dito acima, a questão é bastante complexa e tem por trás uma explicação teológica. Além do convite a ver outras respostas aqui no site, há uma resposta da Ombretta que sintetiza muito bem esse tema, que você pode ler nesse link.

Sintetizando o que se disse já em outras respostas, pensamos que o ensinamento teológico contido na guarda do sábado na tradição judaica continua válido até hoje. Ao mesmo tempo, nos damos conta que a tradição cristã, por causa da memória de Cristo ressuscitado, transferiu desde há muito tempo, e depois de um processo de discernimento muito elaborado, os valores do sábado para o domingo.

As primeiras comundiades cristãs, mesmo observando o Sábado, o sétimo e último dia da semana, aos poucos começaram a celebrar também o dia da ressurreição de Jesus (Atos 20,7), aquele que se transformará no domingo, o ‘oitavo dia’, o primeiro dia da nova criação em Cristo, que coincide com aquele da sua volta (1Coríntios 11,26).

Quando o cristianismo se difundiu no Império romano e se tornou a religião de estado, englobou no domingo a função do dia de descanso, a memória da criação e da libertação e também o anúncio da nova criação inaugurada pela ressurreição de Cristo.

Acreditamos, portanto, que o cristão deva guardar o domingo.